Sismo de 7,1 na Califórnia causa múltiplos feridos e incêndios

O forte sismo que atingiu o sul da Califórnia esta madrugada provocou múltiplos feridos, incêndios e danos em estradas e edifícios, anunciaram as autoridades.

Um sismo de magnitude 7,1 na escala de Richter atingiu este sábado o sul da Califórnia, um dia depois de um forte terramoto ter abalado a região. Segundo os especialistas em sismologia, citados pelo The New York Times, são esperadas mais réplicas fortes nos próximos dias.

O terramoto, que ocorreu às 20:19 (04:19 de hoje, em Lisboa), seguiu-se a outro sismo de magnitude 6,4, na quinta-feira, na mesma região. O epicentro foi registado no Deserto de Mojave, a cerca de 18 quilómetros de Ridgecrest, onde ocorreu o epicentro do terramoto anterior. Desde então, conta o mesmo jornal, foram sentidas várias replicas, uma das quais de intensidade 5,4, que terá causada a morte de californianos.

De acordo com as estimativas do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que apontam para uma magnitude de 6,9 e 7,1 na escala de Richter, este foi o maior sismo registado no sul da Califórnia nas últimas duas décadas.

Segundo a agência Associated Press, a cidade de Ridgecrest, no condado de Kern, voltou a ser a mais afetada, mas o tremor também se fez sentir em Las Vegas e no México.

A porta-voz do Corpo de Bombeiros do condado de Kern, Megan Person, relatou a ocorrência de "múltiplos feridos e incêndios", sem fornecer mais detalhes.

"Espera aí, vai acontecer outra vez", disse Jade Alexander, gerente do hotel Rodeway Inn & Suites, em Ridgecrest, numa entrevista telefónica com o The New York Times. Segundo a mesma fonte, os tremores estavam a ser sentidos a cada cinco minutos. "O meu nível de ansiedade está acima do limite", confessou.

Segundo os relatos de Jade Alexander, o chão rachou e as estantes, armários e televisões caíram ao chão.

De acordo com as autoridades, este sismo foi sentido numa área muito mais ampla do que o de quinta-feira, tendo sido registadas falhas de energia em Los Angeles e danos no condado de San Bernardino.

No condado de Kern, Mick Gleason disse que algumas pessoas ficaram feridas, mas não se registaram mortes. Houve pelo menos dois incêndios, mas, segundo o chefe dos bombeiros, nenhum prédio se desmoronou.

Lucy Jones, especialista em sismologia, acredita que haverá mais réplicas: "É claramente um sistema energético".

"Foi tão mau", disse Leena Panchal, gerente do hotel Americas Best Value Inn & Suites, em Ridgecrest, em declarações ao The New York Times. "Estou assustado. Tenho dois filhos e ninguém está a cuidar de nós", afirmou.

Após o terramoto, Leena conto que o abalo "foi muito forte". "Ainda me estou a sentir tonta", afirmou, acrescentando que ficaram sem eletricidade durante o sismo, mas esta foi restabelecida.

Tom Heaton, especialista em terramotos do Instituto de Tecnologia da Califórnia, diz que este sismo terá libertado oito vezes mais energia do que aquele que foi registado cerca de 36 horas antes. Segundo o especialista, não haverá relação entre os sismos e a falha de Santo André, a maior e potencialmente mais destrutiva, que vai do Golfo da Califórnia até São Francisco.

No Twitter, os internautas foram partilhando alguns vídeos do momento em que a terra tremeu.

Mais Notícias