Senado quer ouvir equipa de Trump sobre ligações à Rússia

A comissão de informações e segurança vai convocar alguns dos mais importantes elementos da campanha de Trump sobre envolvimento de Moscovo nas eleições presidenciais de novembro.

A comissão senatorial das informações vai examinar os possíveis contactos entre dirigentes russos e pessoas envolvidas nas campanhas eleitorais dos EUA, como parte de uma investigação maios ampla sobre a interferência de Moscovo na eleição presidencial de 2016.

Além de figuras da campanha de Donald Trump, a comissão irá também convocar para deporem elementos da Administração de Barack Obama.

Em comunicado distribuído na sexta-feira, os senadores Richard Burr, republicano eleito pela Carolina do Norte e que preside à comissão, e Mark Warner, democrata eleito pela Virgínia, afirmaram que "a comissão vai seguir a informação até onde ela conduzir".

No mesmo comunicado lê-se que serão "avaliadas as preocupações relativas à Rússia e às eleições de 2016 nos Estados Unidos, incluindo quaisquer ligações entre a Rússia e indivíduos associados a campanhas políticas".

Os serviços de informações dos EUA têm afirmado que a Federação Russa interferiu na eleição presidencial norte-americana para ajudar o candidato republicano Donald Trump a ganhar, como veio a acontecer.

No início desta semana, Trump especulou sobre uma possível fuga de informação por parte daquelas agências sobre uma reunião classificada com ele próprio, que incluiu alegações não fundamentadas de que os russos tinham reunido informações comprometedoras sobre ele.

A maior parte do trabalho da comissão vai ser feita à porta fechada, sem bem que os senadores tenham dito que iriam realizar audições à porta aberta quando for possível.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG