Secretas americanas: o próprio Putin procurou favorecer a eleição de Trump

Relatório divulgado esta sexta-feira acrescenta que a Rússia vai usar noutros países a experiência adquirida

Os serviços de informações dos EUA sustentaram em relatório divulgado hoje que o Presidente "Putin e o Governo russo procuraram" favorecer a eleição de Donald Trump e desacreditar a campanha eleitoral de Hillary Clinton.

Moscovo vai "aplicar as lições aprendidas" nesta campanha para influenciar as eleições em outros países, alertaram aqueles serviços no documento solicitado pelo presidente Barack Obama, que se baseia em informações recolhidas pela polícia federal (FBI, na sigla em inglês) e pelas agências Central de Informações (CIA) e de Segurança Nacional (NSA).

"O presidente Vladimir Putin ordenou uma campanha de influência em 2016 visando a campanha presidencial norte-americana", lê-se no documento. "Os objetivos da Rússia eram de minar a confiança dos eleitores no processo democrático, denegrir a secretária de Estado [Hillary] Clinton e prejudicar a sua eleição e potencial presidência".

O documento de 25 páginas é uma versão resumida do relatório que foi apresentado ao Presidente Barack Obama na quinta-feira e ao presidente eleito Donald Trump esta sexta. Com Lusa

Mais Notícias

Outras Notícias GMG