Sabores luso-espanhóis em almoço dos 28 com Ucrânia e refugiados na ementa

Última cimeira do ano dos líderes europeus servirá para celebrar os 30 anos da adesão de Portugal e Espanha à então CEE. Os chefs premiados José Avillez e Pepe Solla são aos autores do menu de três pratos que será servido hoje

Os chefes de Estado e de governo europeus reúnem-se hoje em Bruxelas com uma agenda "carregada de discussões importantes", que começam num almoço oferecido por Portugal e Espanha. A relação com a Ucrânia e a questão das migrações serão os primeiros temas abordados. À tarde será feito um ponto da situação sobre as operações na Síria. Ao jantar, a União Europeia volta ao formato a 27, para discutir o brexit, sem a presença da primeira-ministra britânica, Theresa May.

"Este é um modelo que pretendemos manter daqui para a frente, até percebermos o que é que o Reino Unido quer fazer em relação ao artigo 50", adiantou ontem um diplomata europeu, salientando que "este é um formato que até é aceite pelo Reino Unido e, em Downing Street, considera-se natural que quem quer ficar se reúna sem a presença de quem quer sair".

O debate a 27 "pretende ser muito curto", para que seja aprovada a "estrutura de negociação", da UE com Londres. "Estamos a preparar a forma como a negociação será conduzida do nosso lado. Eles estão a preparar-se e nós temos de fazer o mesmo", justificou. "Que fique claro que nós não estamos a negociar com o Reino Unido" vincou outra fonte, ligada ao Conselho Europeu, já que a negociação "só acontecerá quando o Reino Unido notificar a UE de que ativa o artigo 50".

Nesta fase, será "uma discussão política sobre questões burocráticas" em que vai ser decidido quem negoceia, como e em que termos, uma vez que será necessário "um período de seis a oito semanas" para as conversações terem início depois do pedido para a saída e "o período para a negociação será muito curto", acrescentou o diplomata.

Mas o primeiro ponto dos trabalhos dos 28 líderes europeus está marcado para as 13.15 (12.15 em Lisboa) com um almoço oferecido por Portugal e Espanha a propósito dos 30 anos da adesão dos dois países à então CEE e que terá a assinatura de dois chefs premiados - o português José Avillez (duas estrelas Michelin no restaurante Belcanto) e o espanhol Pepe Solla (uma estrela na Casa Solla). Um evento que está a ser visto em Bruxelas como "um momento simbólico muito engraçado, porque nunca foi feito".

Do ponto de vista português, "é uma maneira de dizer que, num momento em que a UE tem tantas dificuldades, olhem para nós [Portugal e Espanha] e vejam que o percurso é largamente positivo", comentou uma fonte ao DN.

O convite a José Avillez chegou através do primeiro-ministro António Costa e de José Bento dos Santos, o presidente da Academia Portuguesa de Gastronomia. "A oportunidade de representar a cozinha portuguesa num momento como este é importante. E também é um orgulho poder cozinhar com o chef Peppe Solla. Acima de tudo é um privilégio", contou ontem ao DN o chef português, já a partir de Bruxelas onde estava a tratar dos preparativos da refeição que irão servir hoje. "Estão a correr muito bem", disse.

José Avillez já conhecia Pepe Solla e, explicou, o processo de escolha dos pratos foi "muito simples". "Fiz uma proposta que foi aceite e na semana passada, em conjunto, preparámos uma prova de menu". Esta prova realizou-se no dia 6 e contou com os cozinheiros do Conselho Europeu, e os embaixadores de Portugal e Espanha.

De acordo com a imprensa espanhola, Pepe Solla terá insistido em fazer o prato principal, com o objetivo de dar a conhecer aos líderes europeus um peixe representante da variedade que existe na costa da Galiza, a região natal do chef.

Durante a tarde, num formato de reunião a 28, será feito um balanço dos "avanços consideráveis", em matéria de migrações "especialmente no que diz respeito às fronteiras externas", afirmou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, na carta convite enviada aos chefes de Estado e de governo, em que frisou "ainda há trabalho a realizar". "Analisaremos os progressos verificados nas vertentes interna e externa, incluindo na implementação da declaração UE-Turquia e do Quadro de Parceria, bem como o que diz respeito aos mecanismos financeiros para apoiar os países de origem, de trânsito e de acolhimento", acrescentou.

A sessão de trabalho da tarde será ainda marcada pela política de defesa, "em relação à qual os europeus têm de assumir maior responsabilidade", defendeu Tusk, dando continuidade à recomendação da NATO.

"O nosso objetivo é claro: reforçar a segurança da Europa numa conjuntura geopolítica difícil e proteger melhor os nossos cidadãos", defende o polaco, esclarecendo que o objetivo é "investir mais e cooperar melhor" entre os membros da UE e da NATO e com os parceiros. A decisão caberá, porém, às capitais. Neste âmbito, Portugal está disposto a "aceitar todos os compromissos que não envolvam encargos financeiros", comentou uma fonte ao DN.

Os 28 debaterão ainda "questões económicas e sociais", no qual será analisada a proposta de prolongamento do Plano de Investimento para a Europa e as recentes iniciativas dedicadas à juventude, em matéria de mobilidade, educação e desenvolvimento de competências. A reunião contará com a presença de Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu, que fará "uma breve intervenção para apresentar pontos de vista sobre a recuperação e perspetivas económicas".

O Menu

Estes são os pratos que os chefs José Avillez e Pepe Solla irão servir hoje em Bruxelas

Entrada
Creme de castanhas com perdiz em escabeche. Será o primeiro prato que os 28 líderes europeus irão provar no almoço informal de hoje. Tem a assinatura do chef português José Avillez e é uma variação do tradicional creme de castanhas que serve no seu Café Lisboa.

Prato principal
Merluza con puré de tubérculos, ensaladas e ajada. Esta pescada de Celeiro com puré de tubérculos, salada e molho de pão desfeito em água, alhos esmagados e sal é um dos pratos de assinatura que o chef Pepe Solla serve no seu restaurante Casa Solla.

Sobremesa
Pastel de nata em mil folhas com gelado de canela A sobremesa também será com a assinatura do chef José Avillez, que apresentará aos 28 chefes de Estado e de governo da União Europeia um dos clássicos do menu do seu restaurante Belcanto.

Vinhos
Dois espanhóis e um português São três os vinhos que serão servidos no almoço de hoje: o Albariño de Rías Baixas Leirana Genoveva 2014, o tinto Rioja Tondonia 2004, e vinho do Porto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG