Putin quer que russos nascidos depois de 2014 sejam proibidos de comprar tabaco

Objetivo da medida é erradicar o tabagismo do país

O ministério da Saúde russo quer proibir a venda de tabaco a qualquer pessoa nascida depois de 2014, mesmo depois de chegar à idade adulta. A medida faz parte de um plano para erradicar o tabagismo na Rússia, um país com 143 milhões de pessoas onde um terço fuma.

O porta-voz do Kremlin, Dimitri Peskov, afirmou que esta medida requer um debate sereno e que deve ser levada a sério. Caso entre em vigor em 2033, conforme o previsto, pessoas nascidas depois de 2014 nunca terão acesso ao tabaco na Rússia.

Dados da Organização Mundial da Saúde revelam que 400 mil russos morrem todos anos por doenças relacionadas com o tabagismo, segundo o El Pais.

O presidente russo Vladimir Putin lançou em 2013 várias medidas contra a venda e distribuição de tabaco, que restringiam entre outros a publicidade ao tabaco, os pontos de venda e os espaços para fumar.

Estas medidas foram eficazes segundo o ministério da Saúde, que diz que o consumo entre menores de 15 anos baixou de 25% para 9%. Além disso o consumo diminuiu 5% no primeiro ano das restrições só na capital do país, e os cigarros eletrónicos tornaram-se mais populares.

O próximo passo do governo é colocar os cigarros eletrónicos ao mesmo nível dos cigarros normais até 2022 e aumentar a lista dos locais onde é proibido fumar. Outra das medidas a ser adotada em breve é obrigar os funcionários que fumam a trabalhar mais horas para compensar pelas pausas.

As empresas tabaqueiras como a Philip Morris International avisam no entanto que estas medidas vão aumentar o comércio ilegal de tabaco.

Nos últimos anos, a Rússia tem considerado propostas controversas para diminuir o tabagismo, como a medida que proibia que mulheres com menos de 40 anos comprassem cigarros. O partido comunista do país chegou a propor que as mulheres com filhos pequenos fossem proibidas de fumar.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG