Russo detido em Espanha por suspeita de "piratear" eleições nos EUA

Pyotr Levashov foi detido no domingo em Barcelona, na sequência de um mandado de detenção internacional emitido pelos EUA

Um programador russo, Pyotr Levashov, foi detido no domingo em Barcelona, por ordem das autoridades norte-americanas. Segundo o El País, a embaixada russa em Espanha confirmou a detenção, mas não avançou com os motivos; já na manhã desta segunda-feira, a AFP avança, citando fonte judicial, que o homem foi preso por suspeita de ter levado a cabo atos de pirataria informática que interferiram com as eleições presidenciais norte-americanas do ano passado.

Levashov foi detido em cumprimento de um mandado de detenção internacional emitido pelos EUA.

Os serviços de inteligência dos EUA têm acusado a Rússia de estar por trás de uma tentativa de manipulação das eleições em favor de Donald Trump, que acabou por vencer a disputa eleitoral.

O FBI está a investigar as ligações entre o Kremlin e a equipa de Trump que derrotou Hillary Clinton, ainda que a diplomacia russa e o próprio Putin já tenham vindo negar qualquer interferência.

No passado mês de janeiro, a polícia espanhola já tinha detido um outro programador informático russo devido a um mandado de detenção internacional emitido pelos EUA, desta vez porque o alegado hacker estaria a usar os conhecimentos de informática para cometer fraudes bancárias. Stanislav Lísov também foi detido em Barcelona, mais precisamente no aeroporto de El Prat.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG