Robert De Niro chama "racista" e "supremacista branco" a Donald Trump

Ator norte-americano, conhecido por filmes como O Padrinho, Taxi Driver ou O Cabo do Medo, voltou a tecer duras críticas contra o presidente dos EUA numa entrevista publicada este domingo pelo jornal britânico The Guardian

Robert De Niro, que no passado já chamou coisas como "cão" e "porco" a Donald Trump, voltou ao ataque contra o presidente dos EUA. Numa entrevista publicada este domingo pelo jornal britânico The Guardian, o ator norte-americano, de 75 anos, vencedor de dois Óscares, classificou Donald Trump como sendo "um verdadeiro racista" e "um supremacista branco".

"Estou velho agora e um bocado chateado com tudo o que se está a passar. Quando vemos alguém como [Trump] tornar-se presidente, pensamos, bem, Ok, vamos ver o que é que ele faz - talvez ele mude. Mas só tem piorado. Mostrou que é um verdadeiro racista. Pensei que talvez como nova-iorquino ele compreendesse a diversidade numa cidade mas ele é tão mau como eu pensava - ainda muito pior. É uma pena. É mau para o país", disse numa conversa com o jornalista David Smith o ator conhecido por filmes como O Padrinho, Taxi Driver ou O Cabo do Medo.

Questionado sobre se chamaria supremacista branco ao atual chefe do Estado norte-americano, responde, sem hesitar, que "sim". E fascista? "Eu penso que é a isso que ele conduz. Se ele se apanhasse a jeito, deixaria este país numa situação muito má. Quero dizer, da forma como vejo as coisas, também se riram de Hitler. Todos pareciam ter muita piada. Hitler parecia ter piada, Mussolini também e outros ditadores e déspotas também pareciam ter piada. O que me incomoda é que haja pessoas, que no futuro, o vejam como um exemplo".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG