Operação da polícia canadiana na Ubisoft por suposto sequestro não passou de falso alarme

Alegado caso de sequestro por grupo não identificado mobilizou forças policiais de Montreal mas não terá passado de uma brinadeira.

A polícia canadiana esclareceu que não houve qualquer sequestro na empresa de software Ubisfoft, em Montreal, e que a grande operação montada esta sexta-feira naquela cidade do país não passou de um falso alarme.

Fontes policiais confirmaram à estação de televisão pública do Canadá, CBC, que a operação onde participaram várias unidades táticas das forças de segurança locais se tratou de um falso alarme provocado por uma chamada para o número de emergência nacional 911.

Supostamente, um grupo não identificado teria invadido a empresa, tendo inclusive interrompido reuniões online que estavam a decorrer e feito reféns alguns funcionários, enquanto outros conseguiram escapar para o telhado do edifício, onde se encontram refugiados, depois de terem bloqueado a porta de acesso com cadeiras.

Horas antes, várias cadeias de televisão canadianas noticiaram que a polícia estava a realizar uma "operação de envergadura" no edifício do gigante francês de jogos de vídeo e falaram numa eventual tomada de reféns.

A polícia de Montreal confirmou, através do Twitter, que estava a decorrer uma operação nos arredores da Ubisoft, uma das maiores do mundo no desenvolvimento de jogos eletrónico, e pediu à população para "evitar aquele setor", mas advertiu desde logo que todas as informações estavam "por confirmar".

Cerca de 4000 pessoas trabalham normalmente no estúdio da Ubisoft, em Montreal, mas uma grande parte está atualmente em teletrabalho devido à pandemia de covid-19.

Notícia atualizada Às 23:25

Mais Notícias

Outras Notícias GMG