Quinze ovelhas inscritas como alunas para impedir redução de turmas

A escola, nos Alpes franceses, corre o risco de encerrar uma das turmas por falta de alunos. Como protesto, os pais decidiram inscrever quinze ovelhas e o presidente da câmara local validou a campanha

Quinze ovelhas foram matriculadas numa escola primária dos Alpes franceses, onde há uma turma que corre o risco de desaparecer por falta de alunos. Um ato simbólico, pensado pelos encarregados de educação, que pretendem chamar a atenção para o problema.

Segundo o canal de televisão Sky News, há 261 crianças inscritas na escola Jules-Ferry, em Crêts en Belledonne, onde vivem aproximadamente 4.000 pessoas.

Recentemente, a escola foi informada que poderia ter que fechar uma das turmas devido a uma quebra no número de alunos. Considerando a "situação miserável", os pais decidiram inscrever simbolicamente mais de uma dúzia de ovelhas.

De acordo com a mesma fonte, a Baa-bete, a Saute-Moutonforam e as outras 13 ovelhas pertencem a um pastor que mora naquela região dos Alpes franceses. Com a ajuda do seu cão, Michel Girerd conduziu os animais até à escola, para que fossem oficialmente inscritos com as suas certidões de nascimento, perante pais, alunos e professores.

"A educação nacional é, infelizmente, apenas números", disse à imprensa local Gaelle Laval, uma das mães que promoveu a iniciativa.

A escola tem atualmente 11 turmas, mas poderá passar a ter apenas dez no início do próximo ano letivo. Uma proposta que não agrada aos pais, uma vez que implica que o número médio de alunos por turma passe de 24 para 26. Desta forma, diz a Sky News, ficariam no limite imposto por Emmanuel Macron.

Jean-Louis Maret, presidente da câmara local, validou a campanha, ao reconhecer as inscrições dos animais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG