Qual é o segredo do bronze permanente de Trump?

Os termómetros podem baixar, mas há uma coisa que não muda - o tom de pele do presidente dos EUA. Maquilhagem ou bronzeado artificial? A discussão segue na América enquanto Trump foi apanhar sol

Em Washington está um frio de rachar, os termómetros marcam temperaturas negativas, mas há uma coisa que não muda - o tom de pele do presidente Trump que se mantém bronzeado ou, na opinião de alguns, "alaranjado".

O assunto ganhou contornos de discussão nacional, ao ponto do prestigiado New York Times lhe dedicar uma longa peça jornalística. Isto no fim de semana em que o presidente se escapuliu do frio da capital para o quentinho da Florida, para apanhar o sol de Palm Beach, onde este domingo se esperam temperaturas máximas de 27.

Não há imagens da família presidencial em Palm Beach, mas não será difícil imaginar como contrastariam com as fotos divulgadas pelas agências quando os Trump partiram sexta-feira de Washington, no Air Force One, rumo à Florida, com os longos e quentes casacos enquanto se via a pista coberta de neve.

Voltemos à tez presidencial. A Casa Branca tem uma resposta oficial para o tom de pele de Donal Trump e afirma que a sua aparência e brilho é resultado dos "bons genes". Uma garantia dada, sob anonimato, por um alto funcionário da Administração citado pelo NYT.

Ok, a mesma fonte, também admite que o presidente pode usar um de pó, mas translúcido, nada de bronzeadores, mas apenas para as aparições televisivas.

O mistério é grande. Muitos se questionam se Trump recorre a solários - a ex-assessora Omarosa Manigault Newman escreveu no seu livro que um porteiro da Casa Branca chegou a ser demitido por não ter dado os devidos cuidados ao transporte de um aparelho de bronzeamento artificial.

Ex-colegas de Trump no colégio deitaram mais uma acha para esta fogueira. Contaram que já nessa altura ele não dispensava os raios ultravioletas - tinha uma lâmpada que ligava a uma tomada e assim ficava bronzeado como se tivesse ido para a praia...

James B. Comey, o ex-diretor do FBI que entrou em guerra com Trump e escreveu Lealdade a Toda a Prova, especulou igualmente sobre o brilho da pele do presidente, dizendo que o seu "rosto parece meio alaranjado, com meias-luas brancas e brilhantes sob os olhos, onde imaginei que ele colocasse pequenos óculos de proteção".

Três pessoas que passaram algum tempo na Casa Branca e dois altos funcionários garantiram ao NYT que não há qualquer câmara de bronzeamento escondida a um canto da residência, nem tão pouco no Air Force One.

"Ele parece mais alaranjado do que bronzeado"

Mas há mais teorias para o tom de pele do presidente dos Estado Unido. Uma delas é que usa cremes ou loções autobronzeadoras. Tina Alster, dermatologista de Washington que já terá tratado autoridades de todas as administrações, incluindo da atual, embora sem acompanhar Trump, considera que esta teoria é a que verdadeiramente pode ser uma explicação para o visual presidencial.

"Ele parece mais alaranjado do que bronzeado", o que é um sinal revelador, disse.

Mas há outro sinal - e que desde logo afasta o uso de medicamentos ou suplementos dietéticos que dão um tom bronzeado à pele. É o facto de o presidente apresentar círculos brancos debaixo dos óculos, o que pode evidenciar que usou óculos de proteção para os raios.

Trump há muito tempo que toma antibióticos para tratar a rosácea, que faz com que a pele se apresente rosada ou avermelhada. Mas já se terá queixado que os seus cabelos e a sua pele parecem muito amarelados e alaranjados na televisão - segundo uma fonte do seu círculo próximo.

Seja qual for o método de Trump para manter o tom de pele, pratica-o em privado. Nem a maquilhadora da Casa Branca conseguiu chegar próximo dele, embora tenha tentado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG