Pyongyang cala com fotos os novos rumores sobre saúde de Kim

Serviços de informação da Coreia do Sul tinham indicado que líder norte-coreano teria delegado parte dos poderes na irmã, por causa do stress, e havia quem dissesse que estava em coma.

Depois de terem surgido novos rumores de que o líder norte-coreano estaria morto ou em coma, a imprensa local divulgou nesta quarta-feira imagens de Kim Jong-un a presidir a uma reunião dedicada ao coronavírus e à chegada iminente de um tufão ao país.

Os serviços de informação sul-coreanos tinham indicado que Kim teria delegado parte dos seus poderes à irmã, Kim Yo-jong por causa de stress.

Um ex-assessor do falecido presidente sul-coreano Kim Dae-jung chegou a afirmar no Facebook que pensava que Kim estava em coma, sem, contudo, apresentar provas.

Mas o líder norte-coreano presidiu a uma importante reunião da comissão do Partido dos Trabalhadores, que ocorreu na terça-feira, para abordar as formas de enfrentar a pandemia, informou a agência oficial KCNA.

A Coreia do Norte, que fechou rapidamente as fronteiras por causa da covid-19, não confirmou nenhum caso de contágio no território. Uma epidemia seria desastrosa para o país, que tem infraestruturas de saúde insuficientes.

O jornal Rodong Sinmun publicou fotografias da reunião da comissão, que mostram Kim vestido de branco e a falar aos colaboradores. Numa das imagens parece até ter um cigarro na mão.

Kim admitiu "algumas lacunas" na prevenção e pediu medidas mais contundentes para remediar as "carências", de acordo com a KCNA.

No mês passado, Pyongyang ordenou o confinamento da cidade de Kaesong, junto à fronteira com a Coreia do Sul, e afirmou que um desertor foi detido depois de entrar ilegalmente a partir do território sul-coreano e que havia suspeitas que pudesse ter o novo coronavírus.

As restrições foram retiradas posteriormente e o possível caso de covid-19 nunca foi confirmado.

A reunião presidida por Kim também abordou as medidas que devem ser adotadas para proteger a população e as colheitas da aproximação do tufão Bavi.

O estado de saúde do líder norte-coreano é um segredo de Estado, num país fechado e sem liberdade de imprensa. Os rumores sobre Kim são recorrentes, e até os serviços de inteligência sul-coreanos se equivocam com frequência sobre a situação na Coreia do Norte.

Em abril, os alarmes voltaram a disparar quando Kim esteve três semanas sem aparecer em público e nenhuma foto oficial do dirigente foi divulgada durante as celebrações do aniversário de nascimento do avô, Kim Il-sung, fundador do regime, uma data muito importante no calendário político norte-coreano.

Mais Notícias