Cimeira Trump-Putin: "Dar-se com a Rússia é algo bom"

A cimeira entre Donald Trump e Vladimir Putin em Helsínquia, na Finlândia, começou marcada por atrasos.

"O mundo quer nos demos bem. Somos duas potências nucleares. Esse é um dos temas que abordaremos. Temos grandes oportunidades. Creio que uma relação extraordinária. Dar-se bem com a Rússia é algo bom. Não é mau. Temos que falar de muitos temas, como o comércio, as armas, a China e muitos mais", disse o presidente dos Estados Unidos, numa primeira comparência com o seu homólogo russo perante os jornalistas em Helsínquia. Trump elogiou ainda a forma como correu o Campeonato Mundial de Futebol na Rússia.

"Chegou o momento de tratar de certos temas com profundidade. Sobre as relações bilaterais, sobre os distintos focos de tensão no mundo. E são bastantes. A precisar que lhe dediquemos atenção", declarou, por seu lado, Putin. Os dois líderes surgiram algo tensos perante os jornalistas, que não puderam fazer perguntas, prosseguindo depois para um encontro a dois, que conta com a presença de apenas os tradutores na sala.

Putin chegou com uma hora de atraso ao encontro com Trump, deixando o presidente norte-americano e a mulher, Melania, a fazer um compasso de espera para sair para o palácio presidencial de Helsínquia. A acompanhá-los, o chefe do Estado finlandês Sauli Niinisto e a mulher Jenni Haukio.

"A cimeira deveria ter começado há 11 minutos, mas os líderes ainda não estão no palácio. Parece que Putin está a fazer esperar Trump. Deixar as pessoas à espera é o modus operandi do presidente russo para exibir o seu domínio", escreveu no Twitter Philip Rucker, jornalista do Washington Post, acreditado junto da Casa Branca.

Horas antes, um porta-voz do presidente russo, citado pela AP, terá afirmado que Putin espera que a cimeira com Trump seja um "pequeno passo" para normalizar as relações entre os EUA e a Rússia. Dmitry Peskov, citado pela RT, avançara de antemão que os dois líderes não tinham propriamente uma agenda definida antes do encontro.

Antes da reunião, o presidente norte-americano afirmou, através do Twitter, que a relação entre EUA e Rússia nunca esteve tão mal como agora. "O nosso relacionamento com a Rússia nunca foi pior devido aos muitos anos de tolice e estupidez dos Estados Unidos e agora, a caça às bruxas".

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, através de uma mensagem publicada também no Twitter, concordou com esta constatação fazendo um retweet do tweet de Trump acompanhado de duas palavras apenas: "Nós concordamos".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG