Produção de coca na Colômbia dispara para níveis recorde

Relatório da Casa Branca indica que cultivo da planta cresceu 18% em 2016

A produção de coca na Colômbia disparou para níveis inéditos em duas décadas, de acordo com um relatório da Casa Branca divulgado na terça-feira.

O cultivo da planta que serve para produzir cocaína cresceu 18% no ano passado, em comparação com 2015, com as plantações de coca a ocuparem uma extensão estimada 188 mil hectares no país.

Muito deste 'boom' na produção de coca acontece em zonas remotas do país como Puerto Bello, no sul, onde os camponeses que viveram décadas sob o controlo de guerrilheiros esperam por um plano conjunto, que envolva rebeldes e governo, que lhes permita afastarem-se das plantações ilegais, após o acordo de paz do ano passado assinado entre o Executivo e a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Os Estados Unidos alertam, no entanto, que o acordo acabou por funcionar como um incentivo para os camponeses plantarem coca, sabendo que serão depois compensados com subsídios quando decidirem passar a plantar batatas e fruta.

A produção de coca começou a aumentar em 2013 e tem crescido de forma sustentada desde então.

Quando a iniciativa de combate às drogas apoiada pelos Estados Unidos começou em 1999, a Colômbia tinha 123 mil hectares de coca -- cerca de um terço menos do que tinha no ano passado. Estes números subiram até 170 mil hectares em 2001 e depois começaram a descer. O maior aumento nas últimas duas décadas aconteceu em 2015, quando a produção de coca subiu quase 42%. Mas nunca, desde 1994, a produção de coca esteve tão elevada.

Os novos dados indicam que a produção de coca no ano passado expandiu-se para uma área com o dobro do tamanho de Nova Iorque.

"A Colômbia está a viver um 'boom' de coca", afirmou Adam Isacson, analista do Washington Office on Latin America, uma organização que se foca nos Direitos Humanos na América Latina.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG