Prisão de Guantánamo "pronta" para receber novos reclusos

Em 31 de janeiro, o Presidente norte-americano, Donald Trump, assinou uma ordem executiva para manter aberta a prisão militar

A prisão de Guantánamo está "pronta" para receber novos reclusos, mas ainda não recebeu ordens para o fazer, afirmou na quinta-feira um alto responsável militar norte-americano.

"Temos 41 detidos neste momento e estamos prontos a receber mais se nos forem enviados", afirmou o almirante Kurt Tidd, chefe do Comando Operacional para a América do Sul.

Este militar adiantou que até quinta-feira não tinha sido recebida qualquer ordem indicando que novos prisioneiros podem ser enviados para a prisão, na ilha de Cuba, assegurando, contudo, que se tal suceder, a responsabilidade desta entidade militar é "integrá-los efetivamente".

Em 31 de janeiro, o Presidente norte-americano, Donald Trump, assinou uma ordem executiva para manter aberta a prisão militar dos Estados Unidos em Guantánamo, revertendo assim o esforço do seu antecessor em encerrá-la.

A ordem, que Trump assinou antes do seu primeiro discurso do Estado da União, salienta que os Estados Unidos mantêm a opção de manter aberta a prisão para proteger a segurança nacional.

O centro de detenção, que o presidente George W. Bush abriu após os ataques terroristas aos Estados Unidos da América em 11 de setembro de 2001, atingiu uma população máxima de cerca de 780 no verão de 2003, detidos por presumíveis ligações à Al-Qaeda e aos talibãs.

Bush transferiu cerca de 500 detidos antes de deixar o cargo, enquanto Barack Obama, o antecessor de Trump na Casa Branca, transferiu 197 detidos, deixando 41, incluindo cinco para libertação.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG