"Profundamente arrependido": príncipe Filipe escreve carta após provocar acidente

O duque de Edimburgo, de 97 anos, embateu com o seu Land Rover em dois veículos no passado dia 17 de janeiro

O marido de Isabel II escreveu uma carta a uma das pessoas envolvidas no acidente que ele próprio provocou no passado dia 17 de janeiro. O príncipe Filipe disse que era um dia "com muito sol" e que não conseguiu ver os carros a aproximarem-se. Na missiva, confessou estar "profundamente arrependido" e desejou a Emma Fairweather, que partiu um braço, uma "rápida recuperação", acrescentando que ele próprio ficou "um tanto abalado após o acidente".

O príncipe, de 97 anos, embateu com o seu Land Rover no Kia que era dirigido por um amigo de Emma Fairweather. O veículo em que seguia o duque acabou por capotar na A149, uma estrada próxima propriedade rural da Rainha, em Sandringham, e foi um motorista quem acabou por ajudar o príncipe.

Além do carro de Filipe e de Emma Fairweather, um outro automóvel esteve envolvido no acidente: o de uma mãe que transportava o filho de nove meses.

Emma disse ter ficado sensibilizada com a carta do duque, recebida quatro dias após o acidente - a 21 de janeiro. A mulher queixara-se de que só tinha sido contactada por um agente da polícia ao serviço da Rainha e por uma das damas de companhia de Isabel II.

Na carta, escrita em papel timbrado da Sandringham House, o duque reconheceu que o acidente foi uma "experiência muito angustiante". "Fiquei um pouco abalado após o acidente, mas fiquei muito aliviado por ninguém ter ficado gravemente ferido", acrescentou.

Filipe explicou ainda que uma vez que uma multidão começou a reunir-se no local após o acidente, que foi aconselhado, por um polícia local, a regressar a Sandringham.

Emma Fairweather disse também ter ficado feliz porque o príncipe assinou apenas "Filipe", tornando a carta mais pessoal.

O Palácio de Buckingham já confirmou que a carta - reproduzida pelo Sunday Mirror - é genuína.

O duque de Edimburgo foi visto a conduzir um novo Land Rover dois dias após o acidente, mas sem usar cinto de segurança.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG