Derrota eleitoral reduz a um deputado a maioria de Boris Johnson

Maioria parlamentar, que conservadores têm aliados ao DUP, é agora de um voto apenas. Liberais-
-democratas vencem eleições intercalares e prometem novas alianças anti-Brexit

O novo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, sofreu a primeira derrota nas eleições intercalares de quinta-feira e perdeu um deputado, reduzindo a maioria parlamentar a um voto, somados deputados conservadores e do Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte (DUP).

De acordo com os resultados oficiais da circunscrição de Brecon e Radnorshire, no País de Gales (oeste), a candidata liberal-democrata e pró-UE Jane Dodds derrotou, na quinta-feira, o conservador Chris Davies por 13 826 votos contra 12 401.

Em Brecon e Radnorshire, 52% dos eleitores votaram a favor do Brexit no referendo de junho de 2016, apenas um ponto percentual a menos que no conjunto do País de Gales.

Este resultado torna mais difícil para o governo de Boris Jonhson aprovar leis e vencer votações no Parlamento, quando um novo debate sobre o Brexit [saída do Reino Unido da UE] está previsto para acontecer em menos de três meses.

Recentemente, a maioria parlamentar dos conservadores tinha ficado reduzida a dois deputados devido à exclusão do deputado Charlie Elphicke por alegado assédio sexual, o que poderá ser crucial não só no processo do Brexit', mas também se o governo enfrentar uma moção de censura, como ameaçou o Partido Trabalhista de Jeremy Corbyn.

Boris Johnson, também novo líder do Partido Conservador, afirmou já que o Reino Unido sairá da UE em 31 de outubro, com ou sem acordo. No passado, o Parlamento britânico rejeitou no passado um Brexit sem acordo, o que se poderá repetir na próxima votação no outono.

A eleição também foi um teste à popularidade de Boris Johnson, em funções há apenas uma semana. Uma sondagem publicada pelo jornal The Times indicava que o novo primeiro-ministro estava já a atrair eleitores para o Partido Conservador.

Recorde-se que os conservadores perderam a maioria absoluta na câmara dos Comuns depois das legislativas antecipadas de 2017, dependendo, para ter essa maioria absoluta em votos no Parlamento de Westminster, do apoio dos eleitos do Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte (DUP).

Em reação ao resultado, a nova líder dos liberais-democratas britânicos, Jo Swinson, agradeceu esta sexta-feira aos partidos Plaid Cymru e Verdes o apoio na eleição da deputada Jane Dodds no círculo de Brecon e Radnorshire, admitindo mais colaboração entre as várias formações em futuras eleições.

"Agradeço ao Plaid [Cymru] e Verdes por terem colocado o interesse nacional acima do interesse partidário. Eu acredito neste tipo de colaboração entre partidos no interesse nacional quando há tanta coisa em risco em termos do futuro do nosso país para as próximas gerações", afirmou hoje, em declarações à Sky News.

O partido nacionalista galês e o partido ambientalista optaram por não apresentar candidatos a estas intercalares para maximizar o voto anti-Brexit, enquanto o Partido Conservador, por seu lado, terá perdido votos para o candidato do Partido do Brexit.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG