Presidente tunisino, de 92 anos, internado com "crise de saúde grave"

Beji Caid Essebsi foi eleito em dezembro de 2014, nas primeiras eleições após a Primavera Árabe.

O presidente da Tunísia, Beji Caid Essebsi, de 92 anos, foi internado esta quinta-feira num hospital militar depois de uma "crise de saúde grave".

Chefe da diplomacia entre 1981 e 1986 e primeiro-ministro de fevereiro a dezembro de 2011, Essebsi foi eleito presidente em dezembro de 2014, nas primeiras eleições livres após a revolução tunisina desencadeada pela Primavera Árabe, que levou à saída do presidente Zine El Abidine ben Ali em janeiro de 2011 (estava no poder desde 1987).

A presidência tunisina, que anunciou a hospitalização no Facebook, não revelou mais pormenores sobre o estado de saúde de Essebsi, o mais velho presidente do mundo.

Diante dos rumores que circulavam nas redes sociais sobre a morte de Essebsi, o seu conselheiro e porta-voz Firas Guefrech pediu no Twitter para as pessoas não se deixarem enganar. "A condição do presidente é estável", escreveu, pedindo para que rezassem por ele.

Há menos de uma semana, Essebsi tinha anunciado que o presidente tinha tido um ligeiro problema de saúde e tinha ido fazer análises de rotina no hospital militar de Tunes.

A nova hospitalização surge no mesmo dia em que Tunes foi palco de um duplo atentado suicida, que causou a morte a pelo menos um polícia.

Essebsi foi eleito na segunda volta das presidenciais de 21 de dezembro com 55,68% dos votos, derrotando Moncef Marzouki: "A hegemonia é uma ilusão (...). Não haverá um regresso a essa situação [na Tunísia]. Sou a favor de que se vire completamente a página do passado e se olhe em direção ao futuro. Num processo democrático há regras", disse após ser eleito, em resposta aos que o acusaram de ter sido aliado de Ben Ali.

As próximas eleições presidenciais estão marcadas para 17 de novembro e em abril Essebsi tinha dito que não tinha planos para tentar a reeleição. "Honestamente, acho que não devo concorrer", disse no congresso do partido Nidaa Tounes, que fundou em 2012, indicando que era hora de "abrir a porta à juventude". Eleições parlamentares serão a 6 de outubro.

(Em atualização)

Mais Notícias