PP continua o mais popular e PSOE trava descida

Rajoy, Iglesias e Rivera recebem nota negativa. Bloco de centro-direita com grande vantagem em relação à esquerda

O fim do impasse político e a constituição de um governo chefiado por Mariano Rajoy não tirou a liderança do PP no que diz respeito à preferência dos eleitores, mas travou a sua subida de popularidade, de acordo com a sondagem Metroscopia publicada ontem pelo El País.

Se hoje se realizassem novas eleições em Espanha, segundo este estudo de opinião, o PP obteria 34,2%, 1,2 pontos percentuais acima do conseguido nas legislativas de 26 de junho, mas abaixo dos 37,8% da sondagem de outubro.

Quem beneficiou com esta estabilidade foi o Ciudadanos que, apesar de continuar a ser apenas o quarto partido nas preferência dos espanhóis, obteria 14,5% dos votos, o valor mais alto que o partido de Albert Rivera tem desde a semana anterior às eleições de junho.

Mais à esquerda, o Podemos segue como o segundo partido com mais intenções de voto, apresentando-se nesta sondagem com 22,9%, mais 1,8 pontos percentuais que nas últimas legislativas. Mas o registo mais digno de nota do partido de Pablo Iglesias é o facto de estar cinco pontos percentuais à frente do PSOE, que, neste momento, tem 17,9% das intenções de voto, mas conseguindo travar a tendência de descida que vinha a registar desde as eleições de 26 de junho.

"A fidelidade de voto nas duas formações diminuiu, em comparação com sondagens anteriores, embora tanto num caso como no outro os eleitores que agora dizem não estar dispostos a repetir o seu voto não mudaram de partido, mas estão entre os indecisos", afirma a análise do El País.

Há que referir ainda que o bloco de centro-direita - PP e Ciudadanos - aumentou a sua vantagem eleitoral em relação ao centro-esquerda - PSOE e Podemos. Nas legislativas de 26 de junho a diferença era de 2,3 pontos percentuais, agora é de 7,9.

No que diz respeito aos líderes partidários, e numa altura em que o PSOE ainda não escolheu o sucessor de Pedro Sánchez, Mariano Rajoy, Albert Rivera e Pablo Iglesias surgem com níveis de aprovação negativos. O menos popular é o líder do Podemos, com 45% de desaprovação, seguido do presidente do PP, com 35%. O dirigente do Ciudadanos é o menos castigado de todos, surgindo com apenas 6%.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG