Poluição em quase 300 cidades chinesas está a níveis perigosos

O nível de poluição nas cidades testadas pela Greenpeace era cinco vezes superior ao máximo recomendado pela OMS

Os níveis de poluição em quase 300 cidades chinesas excederam amplamente os padrões de qualidade nacionais em 2015, apesar de ligeiras melhorias registadas nas áreas mais poluídas, disse hoje a organização ambientalista Greenpeace.

Segundo os padrões chineses, o máximo recomendado de concentração de partículas PM2.5 - as mais finas e suscetíveis de se infiltrarem nos pulmões - é de 35 microgramas por metro cúbico. O nível de poluição nas 366 cidades testadas foi também cinco vezes superior ao máximo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) - 25 microgramas por metro cúbico.

O uso de carvão como fonte de energia é generalizado e emissões da indústria pesada regularmente cobrem as cidades chinesas num manto de poluição, que causa todos os anos centenas de milhares de mortes prematuras.

Pequim foi a 27.º cidade mais poluída, com uma média de 80,4 microgramas por metro cúbico, uma diminuição de 3,3% face a 2014. Os meses de novembro e dezembro foram mesmo os piores dos últimos três anos na capital chinesa.

Na província vizinha de Hebei, a cidade industrial de Baoding foi a segunda cidade com mais altos níveis de poluição no ano passado - uma média de 107 microgramas por metro cúbico.

"As causas da frequente incidência de nuvens de poluição em Pequim e nas regiões vizinhas foram o vento e humidade", lê-se no comunicado da Greenpeace. "Apesar das condições climatéricas ajudarem a explicar a poluição, a principal origem continua a ser o excessivo uso do carvão no norte da China", acrescenta.

A cidade mais poluída foi Kashgar, na região autónoma de Xinjiang, no noroeste da China, com uma média de 119,1 microgramas por metro cúbico.

Pequim decretou em dezembro por duas vezes o alerta vermelho (o mais alto) por poluição atmosférica, numa decisão inédita e que se deverá repetir sempre que a concentração de partículas PM2.5 seja superior a 300 microgramas ao longo de três dias consecutivos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG