Aprendidos 649 kg de cocaína em barco abandonado no Pacífico

Maior carga de cocaína apreendida nas Ilhas Marshall. Barco carregado de droga poderá ter ficado à deriva durante um ou dois anos.

A polícia das Ilhas Marshall encontrou a maior carga de cocaína alguma vez descoberta naquele país do Pacífico num barco abandonado que foi levado até um atol remoto depois de ficar à deriva em alto mar, possivelmente durante vários anos.

O procurador-geral Richard Hickson disse que o navio de fibra de vidro de 5,5 metros foi encontrado no atol de Ailuk na semana passada com 649 quilos de cocaína escondidos num compartimento debaixo do convés.

Hickson disse que o navio provavelmente atravessou o Pacífico vindo da América Central ou do Sul. "Poderá ter ficado à deriva durante um ou dois anos", afirmou.

A polícia disse que as drogas, que estavam em embalagens de um quilo marcadas com as letras "KW", foram incineradas na terça-feira. Duas outras embalagens serão entregues à Agência Antidrogas dos Estados Unidos para análise.

Detritos dos países americanos são frequentemente levados até às Ilhas Marshall depois de meses ou anos no mar devido à força das correntes do Oceano Pacífico.

Ao longo das últimas décadas, houve vários outros esconderijos de drogas encontrados ao longo da costa das Ilhas Marshall, incluindo outro no atol de Ailuk, mas este último foi de longe o maior.


Os responsável pela aplicação da lei têm várias teorias sobre as origens dessas drogas, incluindo a de que foram abandonadas quando os contrabandistas corriam riscos durante tempestades.

Em janeiro de 2014, o pescador salvadorenho José Alvarenga apareceu nas Ilhas Marshalls, mais de 13 meses depois de partir da costa oeste do México com um companheiro, que morreu durante a viagem.

Depois de ter sido descoberto, os investigadores da Universidade do Havaí levaram a cabo 16 simulações de computador de padrões de deriva na costa do México e descobriram que quase todas chegaram às Ilhas Marshall.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG