Polícia chamada a casa de Boris Johnson por gritos e pancadas

Candidato à liderança conservadora foi ouvido por vizinhos a discutir com a companheira. Symonds terá dito a Johnson para "sair de cima" dela e deixar apartamento. Polícia confirmou chamada mas não detetou problemas.

A polícia foi chamada a casa de Boris Johnson e da sua companheira, Carrie Symonds, na madrugada desta sexta-feira, depois de os vizinhos terem ouvido uma forte discussão envolvendo gritos, berros e pancadas, relata o jornal britânico The Guardian , citando vizinhos.

Segundo o jornal, o mais forte candidato a suceder a Theresa May como primeiro-ministro britânico e Symonds, uma antiga assessora de imprensa do Partido Conservador, discutiram tão alto que podiam ser ouvidos no exterior da sua casa.

Um vizinho citado pelo Guardian garantiu que ouviu uma mulher a gritar seguido de portas a bater e pancadas. O vizinho disse ter ouvido Symonds a dizer para Johnson "sair de cima" dela e para "sair" do seu "apartamento".

Preocupados, os vizinhos foram tocar à porta mas não tiveram resposta. "Eu estava à espera que alguém atendesse a porta e dissesse 'estamos bem'. Eu toquei três vezes e ninguém veio até à porta."

No relato do Guardian, o vizinho optou por ligar para o número de emergência, o 999 (o mesmo que o 112). Dois carros da polícia e uma carrinha chegaram em poucos minutos, pouco depois da meia-noite, mas os agentes saíram depois de terem garantias de ambos os indivíduos no apartamento de que estavam em segurança.

Quando contactada pelo jornal, esta sexta-feira, a polícia inicialmente disse que não tinha registo de qualquer incidente doméstico naquele endereço, uma versão que corrigiu depois de ter recebido o número do processo e o número de referência, bem como as matrículas de identificação dos veículos que foram chamados.

A polícia divulgou então um comunicado informando que "às 00. 24 de sexta-feira, 21 de junho, a polícia respondeu a uma chamada de um residente local [no sul de Londres]. O interlocutor estava preocupado com o bem-estar de uma vizinha feminina. A polícia compareceu e falou com todos os ocupantes no endereço, que estavam todos bem e em segurança. Não houve ofensas ou preocupações aparentes para os agentes e não havia motivo para uma ação policial."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG