Pedro Sánchez afirma que eleições andaluzes reforçam o seu projeto face ao medo

O PSOE foi o partido mais votado, mas com os piores resultados da sua história, numa consulta popular marcada pela chegada da extrema-direita ao parlamento regional

O primeiro-ministro socialista espanhol, Pedro Sánchez, assegurou esta segunda-feira que vai manter o seu projeto "regenerador e europeísta" e que os resultados das eleições na Andaluzia (Espanha) "reforçam" o seu projeto face ao "medo".

"O meu governo vai continuar a promover um projeto regenerador e europeísta para a Espanha. Os resultados na Andaluzia reforçam o nosso compromisso de defender a Constituição e a Democracia contra o medo", escreveu Pedro Sánchez numa mensagem na rede social Twitter.

O chefe do Governo espanhol, que se encontra na cimeira do clima COP24, na Polónia, fez assim o seu primeiro comentário em relação às eleições autonómicas da Andaluzia de domingo, em que o PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol) foi muito penalizado.

O PSOE foi o partido mais votado, mas com os piores resultados da sua história, numa consulta popular marcada pela chegada da extrema-direita ao parlamento regional.

O PSOE obteve 27,95% (antes tinha 35,41%), o Partido Popular 20,75% (26,74%), Ciudadanos (direita liberal) 18,27% (9,28%), Adelante Andaluzia (extrema-esquerda) 16,18% (antes não se apresentou com esta composição de partidos que inclui o Podemos) e o Vox (extrema-direita) 10,97 (0,46%).

Os socialistas, que governam a Andaluzia desde 1982, ou seja, há 36 anos, arriscam-se a perder o executivo regional se houver uma coligação dos partidos de direita.

A consulta foi também um teste ao Governo minoritário socialista nacional, que agora terá mais dúvidas sobre a eventual marcação de eleições gerais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG