Pedro Gonçalves dos Dead Combo: Bourdain "era humilde, generoso"

Quando os Dead Combo apareceram no programa de Anthony Bourdain foi como se uma bomba lhes tivesse caído em cima, e muito mudou. Pedro Gonçalves recorda uma pessoa "muito culta e curiosa"

Há um antes e depois de Anthony Bourdain na história dos Dead Combo. Quando em 2012 Tó Trips e Pedro Gonçalves apareceram no programa No Reservations, com Bourdain em Lisboa, a tocar e a conversar à mesa com o chef que morreu nesta sexta-feira, aos 61 anos, muito mudou.

"Quando o programa foi para o ar caiu-nos uma bomba em cima, ninguém estava à espera. De repente chegámos a muitos milhares de pessoas que não faziam puto ideia de quem eram os Dead Combo. Ainda hoje vão pessoas aos nossos concertos que dizem que nos conheceram no programa do Anthony Bourdain", diz Pedro Gonçalves ao DN. Naquela altura, os Dead Combo chegariam ao top de world music do iTunes.

"Recordo-o como uma pessoa muito culta, muito curiosa, mas acima de tudo muito informada acerca de tudo e mais alguma coisa; era humilde, e generoso", recorda o músico que, com Tó Trips, se sentou à mesa com Bourdain, que quis saber como era o panorama musical português e como era viver como músico em Lisboa.

Pedro Gonçalves recorda ainda a curiosidade e "preocupação" de Bourdain, que queria saber o que tinha sido o salazarismo em Portugal, e conhecer a ditadura que o país atravessou durante décadas. Pedro e Tó Trips explicaram-lhe e contaram-lhe histórias pessoais "dos nossos pais, dos nossos avós, são histórias que têm de ser partilhadas", lembra o músico. Bourdain ficou "impressionado, gostava muito de ouvir histórias".

"Claro, chocar choca sempre", responde, quando lhe perguntamos pela notícia da morte por suicídio do chef, "Às vezes aquelas pessoas para quem olhamos e vemos como forças da natureza têm um lado mais negro que ninguém conhece. No fundo acho que nunca chegamos a conhecer alguém."

Mais Notícias