Partidos regionais poderão voltar a ser a chave

Os pequenos partidos regionais ou nacionalistas em Espanha poderão, novamente, ser decisivos para acordos de governo ou parlamentares em Espanha.

A confirmar-se o cenário apontado pelas sondagens à boca das urnas, os partidos mais votados terão de fazer acordos entre si e com pequenas formações para obterem uma maioria absoluta.

Historicamente, estas pequenas forças já foram chamadas a apoiar quer o PP quer o PSOE nas votações de investidura do primeiro-ministro espanhol, mas sempre a juntar os seus poucos deputados a mais de 150 assentos da principal força.

Caso não se coliguem entre si, a confirmar-se o cenário atual, o PP ou o PSOE terão de se associar a Ciudadanos ou Podemos e ainda assim conseguir o apoio dos "pequenos".

Entre estes destaca-se a Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), que poderá conseguir entre 9 a 11 deputados no parlamento nacional espanhol.

A ERC integrou a plataforma pela independência da Catalunha nas eleições regionais de setembro, a lista unitária Junts pel Sí. Quanto aos que poderão querer agora o seu apoio, PP, Ciudadanos e PSOE estão contra a independência da região e apenas o Podemos incluiu no seu programa uma alteração constitucional para a realização de um referendo pela independência apenas na Catalunha.

A Democràcia i Libertat (DL) está na mesma situação da ERC, mas é a coligação que sucede à CiU de Artur Mas, ainda presidente da Generalitat na Catalunha. Ou seja, a DL apoia o processo de independência catalão e poderá defender esta posição com os seus seis e sete parlamentares (uma descida face aos 16 da CiU em 2011).

Os outros dois principais partidos são o Partido Nacionalista Basco (PNV, com 4 a 5 deputados) e o EH Bildu (3 a 4).

O PNV associou-se em 1993 ao PSOE de Felipe González, que nessas eleições ficou a 17 assentos da maioria absoluta. O outro parceiro de González foram os catalães da Convergência e União (CiU).

Já em 1996, foi o PP de José María Aznar a conseguir o acordo de investidura com o PNV, com a CiU e com a Coligação Canária.

Quanto ao EH Bildu, é um partido basco de cariz independentista, que recentemente se uniu ao PSOE para afastar o PP da presidência da Câmara de Vitória (País Basco).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG