Papa Francisco pede desculpa por ter "perdido a paciência" com uma fiel que lhe apertou a mão

Na primeira missa de 2020, Papa pediu desculpa por ter "perdido a paciência" na noite anterior, quando, na Praça de São Pedro, deu uma palmada na mão de uma mulher que o agarrou (veja o vídeo).

"Toda a violência infligida às mulheres é profanação de Deus, nascido de uma mulher. A salvação chegou à humanidade, a partir do corpo de uma mulher: pelo modo como tratamos o corpo da mulher, vê-se o nosso nível de humanidade", afirmou o chefe da Igreja católica na homilia da missa de hoje na Basílica de São Pedro, no Vaticano. A celebração de 1 de janeiro assinala também o 53.º Dia Mundial da Paz, na Igreja Católica.

Francisco referiu-se ainda a situações de exploração em que "muitas vezes os corpos das mulheres são sacrificados no altar profano da propaganda, do lucro, da pornografia".

O Papa lamentou que enquanto as mulheres são, nas suas palavras, "as fontes da vida", sejam continuamente ofendidas, espancadas, violadas, forçadas à prostituição" ou forçadas a fazer abortos. O líder dos católicos disse ainda que uma conquista para as mulheres é "uma conquista para toda a humanidade".

Papa pede desculpa por ter "perdido a paciência"

Antes da tradicional oração por Angelus, o Papa Francisco pediu desculpas por ter "perdido a paciência" na noite anterior contra uma fiel asiática que apertou a sua mão com muita força durante um percurso junto a uma multidão.

"Muitas vezes perdemos a paciência. Isso acontece comigo também. Peço desculpas pelo mau exemplo dado ontem [terça-feira]", disse o chefe da Igreja Católica, da janela do Palácio Apostólico na Praça de São Pedro, na cidade do Vaticano.

O pedido de desculpas ocorre depois das imagens do incidente terem sido partilhadas na Internet e visualizadas por centenas de milhares de vezes nas redes sociais, nas quais se vê o Papa Francisco a reagir, na noite de terça-feira, com irritação a um aperto de mão excessivamente enérgico de uma fiel, depois das vésperas do último dia do ano de 2019 na Praça de São Pedro.

Depois de beijar muitas crianças reunidas em frente ao presépio de Natal na Praça de São Pedro, e enquanto estava prestes a partir em outra direção, a mão do pontífice foi agarrada por uma mulher que, querendo atraí-lo na sua direção, quase o derrubou. Enquanto a mulher gritava palavras quase inaudíveis, o líder da Igreja Católica, irritado e com um rosto dolorido e corado, conseguiu sair deste aperto de mão apertado dando uma palmada no braço da mulher.

Mais Notícias