Papa apela à anulação da dívida dos países pobres e pede cessar-fogo mundial

Face à pandemia, o Papa apelou este domingo de Páscoa à redução ou anulação, da dívida dos países pobres, ao "cessar-fogo imediato" e ao aligeiramento das sanções internacionais

Na sua mensagem de Páscoa, lida numa basílica de S. Pedro vazia, o Papa Francisco desejou que "sejam aligeiradas as sanções internacionais que impedem os países que as sofrem de proporcionarem um apoio conveniente aos seus cidadãos" e apelou à solidariedade internacional "reduzindo, se não mesmo anulando, a dívida que pesa sobre os orçamentos dos países mais pobres".

Na mensagem, Francisco apela também a um "cessar-fogo mundial e imediato".

"Não é tempo de continuar a fabricar e a traficar armas, desperdiçando avultados capitais que deveriam ser utilizados para tratar as pessoas e salvar vidas", disse o na sua mensagem, que foi difundida em direto.

O chefe da igreja católica pediu ainda à Europa "solidariedade" e "soluções inovadoras" face à pandemia da covid-19.

Francisco dirigiu os seus pensamentos "a todos aqueles que foram atingidos diretamente pelo coronavírus", aos "doentes, aos que morreram e às famílias".

Num mundo "oprimido pela pandemia, que coloca uma dura prova à nossa grande família humana", é preciso responder com o "contágio da esperança", afirmou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 107 mil mortos e infetou mais de 1,7 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Dos casos de infeção, quase 345 mil são considerados curados.

Mais Notícias