Países Baixos querem abater 10 mil martas. Juiz salva-as até segunda-feira

Martas são suspeitas de infetarem pelo menos duas pessoas numa quinta no sul do país. Decisão foi adiada até que ativistas de direitos dos animais sejam ouvidos por um juiz.

As autoridades de saúde holandesas ordenaram que o abate de cerca de 10 mil martas (visons) comece esta sexta-feira em quintas onde foram relatados surtos de coronavírus, pela possibilidade de terem infetado pelo menos dois funcionários.

No entanto, no final desta quinta-feira, um juiz adiou o abate para depois de uma audiência marcada para segunda-feira, depois de dois grupos de defesa dos direitos dos animais terem apresentado objeções à medida. A informação chegou de um tribunal holandês através de um breve comunicado citado pela AFP.

A limpeza das quintas de martas no sul da Holanda, o epicentro do surto no país, tem como objetivo evitar mais contaminações, disseram dois ministros holandeses.

As autoridades de saúde alertaram que "o vírus pode continuar a circular nas fazendas de martas por um longo período e, portanto, representa um risco para a saúde pública e animal", disseram os ministros numa carta ao parlamento.

"Os especialistas sempre disseram que o novo coronavírus em martas não representa risco à para a saúde da população", disse Erwin Vermeulen, porta-voz dos Direitos dos Animais, um dos grupos que apresentou a queixa.

"A decisão de abater agora parece principalmente baseada em motivos populistas", disse o responsável.

Cerca de 10 mil martas serão abatidas durante limpeza, disse a porta-voz do ministério da agricultura, Elise van den Bosch.

Os ministros descreveram a medida como "difícil", acrescentando que os agricultores serão compensados ​​financeiramente. Um comité de bem-estar animal garantiu que os animais serão abatidos de uma "maneira responsável", disseram os ministros.

As autoridades holandesas relataram dois possíveis casos de transmissão do vírus em maio, acreditando que os humanos estavam a ser infetados com o novo coronavírus por martas.

As infeções no sul da Holanda podem ser os "primeiros casos conhecidos de transmissão de animais para humanos", afirmou a Organização Mundial da Saúde no final do mês passado.

Desde então, o governo holandês proibiu o transporte de martas e tornou obrigatório o teste de covid-19 em todas as fazendas do país. Os Países Baixos registam mais de 5990 mortes e 46 mil casos confirmados de infeção por covid-19.

(Notícia atualizada às 22:17)

Mais Notícias

Outras Notícias GMG