Pai do suspeito libertado garante que "ele não fez nada"

Ibrahim Aalla viu três filhos implicados nos ataques. Dois morreram, um foi libertado ontem pelo juiz

O pai de três dos suspeitos dos ataques da semana passada na Catalunha decidiu hoje quebrar o silêncio para garantir que o filho ontem libertado pelo juiz da Audiência Nacional é inocente.

"Ele não fez nada", disse Ibrahim Aalla, citado pelo la Vanguardia, sobre Mohamed Aallaa, 27 anos, o proprietário do Audi A3 com que foi efetuado o ataque na estância balnear de Cambrils, horas depois do atropelamento nas Ramblas, centro de Barcelona. "Ele estava em Roses [município da Catalunha] com a mulher e a filha", garantiu.

Já sobre Youssef, um dos outros dois filhos mortos por ligação aos ataques reivindicados pelo Estado Islâmico, Ibrahim Aalla admitiu que "andava por Tarragona". Aliás, insistiu que este ficara com o carro do irmão Mohamed para poder ir trabalhar.

Ibrahim Aalla explicou que, na sexta-feira da semana passada, ao ver o carro usado no atropelamento de Cambrils nas notícias se deslocou à polícia para dizer que o filho Said não estava em casa. "Mohamed é inocente, não fez nada, nada, nada", repetiu. Admitiu não ter notado nenhum comportamento estranho nos outros dois filhos, mas referiu que estes se relacionavam com o imã, agora considerado como estando na origem da célula 'jihadista' responsável pelos atentados na Catalunha.

Youssef Aalla morreu numa explosão numa casa em Alcanar na véspera dos ataques na Catalunha, enquanto Said foi abatido pela polícia após o ataque em Cambrils. O terceiro irmão, Mohamed, foi detido pela polícia catalã por sus+peitas de ligação aos atentados, mas ontem, depois de ouvido por um juiz, foi libertado "já que os indícios existentes sobre a sua presumível colaboração com o grupo investigado não são suficientemente sólidos".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG