Padeiros que ficaram dois dias presos na tempestade fizeram pão para ajudar as vítimas

"Eles estavam desesperados para ver os seus familiares e não podiam", disse o gerente da padaria. Então dedicaram-se ao que fazem melhor

O furacão Harvey que atingiu o Texas e as chuvas que transformaram as ruas de Houston em rios levaram a um insólito ato de solidariedade. Os padeiros do El Bolillo Bakery que se viram na semana passada retidos dois dias no interior das instalações, trabalharam horas extra produzindo pão que acabou por ajudar as vítimas da tempestade.

Foram quatro os padeiros ficaram presos dentro da loja em Wayside, foi tal a inundação nas ruas. Como não tinham outra opção, permaneceram na padaria, mas em vez de se limitarem a esperar que o pior passasse, continuaram o fabrico de pão para encher as suas montras que já se encontravam vazias.

Entretanto, a El Bolillo Bakery alertou nas redes sociais que a loja estaria fechada, uma vez que Brian Alvarado, o gerente do espaço, não sabia que os empregados, retidos no interior, não tinham parado de trabalhar.

"Eles estavam desesperados para ver os seus familiares e não podiam", disse Alvarado. "Então dedicaram-se ao que fazem melhor", afirmou, citado pelo Washington Post.

Durante dois dias os padeiros produziram centenas pães, até encherem de novo as prateleiras. Mesmo com o nível das águas sempre a subir, tiveram a sorte de a loja não ter chegado a ser inundada e não perderem a eletricidade.

O dono da padaria ainda tentou resgatar os seus funcionários no domingo mas foi impedido pela polícia. Só na manhã de segunda-feira conseguiu lá chegar e ficou chocado com o que viu. Todas as prateleiras que ficaram vazias no sábado estavam novamente cheias.

"Eles não sabiam como lidar com o stress e precisavam de se manter ocupados, então começaram a fazer pão. Estavam apenas a pensar em todos os outros então fabricaram pão para a comunidade", disse Alvarado.

"Não esperávamos entrar aqui e ver as prateleiras cheias de pão", acrescentou. O dono da padaria publicou na página de Facebook da loja uma foto com três dos quatro padeiros que ficaram presos durante dois dias sem parar de trabalhar e o gesto deles foi admirado por todos.

Um homem de Cincinnati que teve conhecimento da história ofereceu um donativo para ajudar nos custos da loja e dos seus funcionários.

Não sabem quantos pães foram cozidos ao certo, mas as prateleiras da padaria podem conter cerca de 3 mil pães e podiam ter mais cerca de mil unidades nos balcões e barras de refrigeração. Alvarado disse ainda ao The Washington Post que foram usados quase duas toneladas de farinha.

O pão feito durante esses dois dias foi entregue a vários abrigos, incluindo o George R. Brown Convention Center e uma esquadra da polícia da zona.

Entretanto, o dono da padaria criou uma página no GoFundMe para angariar dinheiro para a ajudar os seus funcionários que ficaram com as suas casas e carros danificados na tempestade.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG