Os primeiros 100 dias da Presidência Trump em números

Do momento em que Donald Trump tomou posse como 45.º Presidente dos Estados Unidos, a 20 de janeiro, até este sábado passaram 100 dias, pretexto para mostrar os números que sobressaem na atual administração norte-americana.

Os números dos primeiros 100 dias da Presidência Trump, segundo dados disponíveis no site oficial da Casa Branca, na imprensa norte-americana e nos 'media' internacionais):

26: Número de ordens executivas assinadas por Trump até à passada terça-feira. Imigração, segurança, alterações climáticas, saúde, agricultura, tratados comerciais, estímulo à compra dos produtos "made in America" e à contratação de trabalhadores americanos foram algumas das áreas visadas pelos decretos presidenciais assinados por Trump. Por esta altura em 2009, o seu antecessor, Barack Obama, tinha assinado 19 ordens executivas.

3: Número de ordens executivas bloqueadas. Juízes federais bloquearam a aplicação de um decreto presidencial que visava a proibição de entrada em território norte-americano, dentro de um determinado período, a cidadãos de sete países maioritariamente muçulmanos (Irão, Iraque, Síria, Iémen, Somália, Líbia e Sudão), bem como a todos os refugiados. Uma segunda versão desta ordem, que excluía desta vez os cidadãos iraquianos e os portadores de uma autorização de residência nos Estados Unidos, é também bloqueada por juízes federais. No dia 25 de abril, um juiz da zona de São Francisco bloqueia a ordem executiva de Trump que visava reter fundos federais das chamadas cidades-santuário, que recebem imigrantes.

23: Número de nomeações para as várias pastas da administração Trump. Até ao momento, 20 foram confirmadas pelo Senado (câmara alta do Congresso norte-americano).

11: Número de nomeações para a equipa da Casa Branca, incluindo conselheiros, que não precisam de confirmação do Senado. A última foi a de Randolph Alles, um general da Marinha aposentado, para ser diretor dos serviços secretos norte-americanos.

3: Número de saídas ou desistências. Andrew Puzder desiste da nomeação para secretário do Trabalho na sequência de revelações que dão conta de que teria contratado uma imigrante ilegal como governanta. O general na reforma Michael Flynn renuncia ao cargo de conselheiro de Segurança Nacional após informações de que teria mentido sobre contactos com responsáveis russos. Katie Walsh, subchefe do gabinete do Presidente, sai da Casa Branca para integrar uma organização externa.

500 mil: Número de novos empregos que a administração Trump afirma ter criado nestes primeiros meses.

61%: A descida em percentagem do fluxo de imigrantes ilegais nas fronteiras americanas nos primeiros 100 dias de Trump, segundo dados divulgados pela Casa Branca.

14 mil milhões de euros: Valor do património avaliado da atual equipa presidencial, a mais alta de sempre.

28,4 milhões: Número de seguidores da conta pessoal de Donald Trump na rede social Twitter (@realDonaldTrump.Twitter).

945: Número de mensagens ('tweets') que Trump publicou na sua conta pessoal na rede social Twitter desde que tomou posse até ao dia 25 de abril.

14: Número de líderes e de responsáveis internacionais recebidos por Trump (Reino Unido, Japão, Canadá, Israel, Itália, China, NATO, Jordânia, Egito, Dinamarca, Iraque, Alemanha, Irlanda, Peru). O Presidente do México, Enrique Peña Nieto, cancelou uma visita a Washington após Trump ter confirmado a construção de um muro na fronteira entre os dois países vizinhos.

1: Número de juízes nomeados para o Supremo Tribunal, a mais alta instância judicial dos Estados Unidos, e confirmados pelo Senado (juiz Neil Gorsuch).

41%: A média da taxa de aprovação de Trump durante o primeiro trimestre como Presidente, segundo uma sondagem da norte-americana Gallup (divulgados a 20 de abril). Este valor é 14 pontos percentuais mais baixo do que a taxa de aprovação de qualquer outro Presidente desde que esta empresa realiza sondagens.

59: Número de mísseis cruzeiro Tomahawk que as forças militares americanas dispararam, a partir de dois navios estacionados no Mediterrâneo, em direção à base aérea síria de Shayrat, de onde terão partido os aviões envolvidos no ataque com armas químicas que matou mais de 80 pessoas em Khan Sheikhun, no noroeste da Síria.

1: Número de bombas não-nucleares GBU-43 Massive Ordnance Air Blast (MOAB), conhecidas como "a mãe de todas as bombas", que os Estados Unidos utilizaram numa ação militar no Afeganistão contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI).

1: Número de submarinos nucleares norte-americanos destacados na Coreia do Sul. O USS Michigan, equipado com mísseis balísticos e mísseis de alcance médio Tomahawk, chegou no dia 25 de abril ao porto sul-coreano de Busan, no mesmo dia em que a Coreia do Norte realizava um grande exercício de artilharia perto da cidade portuária de Wonsan, na costa este da península.

9%: O aumento em percentagem no orçamento para a área da Defesa proposto por Trump. Este "aumento histórico", segundo qualificou o próprio Presidente, representa um acréscimo nas despesas militares na ordem dos 54 mil milhões de dólares (mais de 50 mil milhões de euros).

25: Número de entidades iranianas que foram alvo de sanções por parte da administração Trump.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG