"Os jovens não passam o vírus apenas uns aos outros. Eles passam o vírus aos pais e avós", avisa ministro

Nas últimas 24 horas, o Reino Unido registou 2420 novas infeções e 30 mortes por covid-19. As autoridades britânicas estão preocupadas com o aumento do número de casos, em particular em jovens entre os 17 e os 21 anos. O agravamento da situação levou à aplicação de restrições na cidade de Bolton, no norte de Inglaterra.

O Reino Unido registou mais 2420 novas infeções e 30 mortes de covid-19 nas últimas 24 horas, informou o Ministério da Saúde britânico, confirmando um agravamento da situação epidémica no país que está a preocupar as autoridades britânicas.

Na segunda-feira, tinham sido registados 2948 novos casos de covid-19 e mais três mortes.

O total acumulado de casos de contágio desde o início da pandemia de covid-19 no Reino Unido passou nesta terça-feira para 352 520 e o número de mortes para 41 584.

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, admitiu nesta terça-feira estar preocupado com o aumento do número de casos de infeção, em particular de jovens entre os 17 e os 21 anos.

"Quero que aprendamos a lição com Espanha, Estados Unidos e França. Não precisamos aprender a lição novamente à própria custa através de mais hospitalizações e mais mortes"

Nesta tarde, impôs restrições na cidade de Bolton, no norte de Inglaterra, onde os restaurantes e bares só estão autorizados a vender para fora e obrigados a fechar até às 22.00, e apelou ao respeito das regras de distanciamento social.

Segundo Hancock, a taxa de novos casos naquela cidade é a mais alta do país, cerca de 120 casos por 100 mil habitantes, a maioria de pessoas com 20 e 30 anos.

"Quero que aprendamos a lição com Espanha, Estados Unidos e França. Não precisamos aprender a lição novamente à própria custa através de mais hospitalizações e mais mortes", justificou, a propósito das medidas tomadas.

"Os jovens não passam o vírus apenas uns aos outros. Eles passam o vírus aos pais e avós", avisou.

O Reino Unido é o país com o maior número de mortos na Europa e o quinto a nível mundial, atrás de EUA, Brasil, Índia e México.

Este valor deixa de fora os casos suspeitos não verificados por teste cujas certidões de óbito referem o covid-19, os quais empurram o balanço verdadeiro, segundo estatísticas oficiais, para cerca de 57 300 mortes.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 893 524 mortos e infetou mais de 27,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência France-Presse.

Mais Notícias