Oficial francês detido e acusado de espionagem para a Rússia

O oficial estava numa base da NATO em Itália e é suspeito de espionagem para os russos.

O oficial francês que a ministra das Forças Armadas, Florence Parly, disse este domingo estar a ser investigado foi detido e acusado de "espionagem para potência estrangeira", em 21 de agosto, disse fonte judicial à France-Presse (AFP).

O oficial estava colocado no estrangeiro, confirmou a fonte depois de essa informação ter sido avançada pela rádio Europe 1.

Segundo a rádio, o oficial estava numa base da NATO em Itália e é suspeito de espionagem para a Rússia.

A ministra das Forças Armadas francesa, entrevistada pela Europe 1, a televisão CNews e o diário Les Echos, disse poder confirmar que "um oficial está a ser investigado por atentado à segurança nacional", mas recusou dar pormenores.

Segundo a Europe 1, o oficial foi acusado de traição por suspeita de ter entregado documentos classificados com "informação altamente sensível" aos serviços secretos russos.

O militar foi detido pelos serviços de contraespionagem da Direção-Geral de Segurança Interna francesa quando se preparava para partir de Itália para férias em França e colocado em prisão preventiva em Paris, também segundo a rádio.

Em comunicado, o Ministério dirigido por Parly informou que "um oficial superior em missão no estrangeiro" estava a ser investigado "por factos de natureza tal que possam causar graves violações da segurança".

A rádio precisa ainda que o militar é tenente-coronel, tem cerca de 50 anos e cinco filhos. Fala russo e foi visto em Itália na companhia de um homem identificado como agente dos serviços de informações militares da Rússia (GRU).

Mais Notícias