Obama comuta pena a 98 pessoas e atinge recorde anual

Das 98 pessoas a que foi concedida clemência, 42 contavam com prisão perpétua

O Presidente dos Estados Unidos comutou a pena de prisão de 98 pessoas, todas com condenações federais por tráfico de droga, atingindo o maior número concedido por um mandatário num ano, 688, anunciou hoje a Casa Branca.

"Estas pessoas - muitas das quais cometeram erros em tenra idade - trabalharam de forma diligente para se reabilitarem durante o tempo de prisão", explicou Neil Eggleston, assessor presidencial, em comunicado.

Eggleston precisou que, das 98 pessoas a que foi concedida clemência, 42 contavam com prisão perpétua, pelo que a notícia de hoje se reverte de "um significado especial", quando souberem que "poderão voltar para as suas famílias e comunidades".

No entanto, nem todos serão libertados imediatamente, já que alguns deverão esperar até 2018 e outros deverão cumprir antes um programa de desintoxicação.

Durante o mandato, Barack Obama recorreu ao seu poder executivo para comutar a sentença a um total de 872 presos, e em agosto tinha feito o mesmo com 214 detidos.

Os seus 11 antecessores na Casa Branca comutaram, em conjunto, um total de 715 condenações.

Mesmo assim, criticou reiteradamente "os problemas do encarceramento massivo" e afirmou que o sistema judicial norte-americano não é "tão justo como devia ser".

Obama defende há muito tempo uma reforma do sistema de justiça penal, com o objetivo de reduzir as penas aos condenados por delitos não violentos relacionados com as drogas, que afetam principalmente os hispânicos e os negros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG