O Brexit pode ser adiado até 2021, dizem fontes de Bruxelas

Segundo o diário britânico The Guardian, a saída do Reino Unido da UE, prevista para 29 de março, pode ser adiada até 2021. A extensão do período de negociação será a solução preferida pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, se o Parlamento britânico continuar a rejeitar o acordo de Theresa May.

Substituir os 21 meses de período de transição previstos por mais tempo como Estado membro da UE. Esta será a solução preferida por várias fontes em Bruxelas, inclusive pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, avança o diário britânico The Guardian.

Se esta solução avançar, o Reino Unido só sairá da União Europeia em 2021 e não já a 29 de março, como está previsto. Citando várias fontes diplomáticas europeias, o jornal garante que esta é a solução preferida entre os 27 se o Parlamento britânico continuar a rejeitar o acordo a que Bruxelas chegou com a primeira-ministra Theresa May. Esta voltou neste domingo a adiar nova votação na câmara dos Comuns para 12 de março.

Ao substituir o período de transição por mais tempo como Estado membro, permitiria ao Reino Unido e à UE desenvolver os seus planos para uma relação futura de forma a tornar o backstop na fronteira irlandesa desnecessário. Evitar um regresso a uma fronteira física entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda após o Brexit tem sido uma das questões que mais tensão têm gerado nas negociações entre Londres e Bruxelas.

"Uma extensão de 21 meses faz sentido porque cobriria o período do orçamento europeu e tornaria as coisas mais fáceis", afirma uma das fontes diplomáticas europeias ouvidas pelo The Guardian.

De manhã, Theresa May anunciou que o acordo com os 27 será votado no Parlamento britânico a 12 de março

"A minha equipa vai voltar a Bruxelas na terça-feira. Consequentemente, não teremos uma votação relevante no Parlamento nesta semana, mas garantiremos que esta acontecerá até 12 de março. Ainda está ao nosso alcance sair da UE em 29 de março e é isso que planeamos fazer", resumiu a líder do Governo britânico.

Theresa May falou à imprensa britânica durante o voo que a levou até Sharm el-Sheikh, no Egito, onde teve início a primeira cimeira UE-Liga Árabe. E insistiu que adiar a data de saída do Reino Unido do bloco comunitário, como defendem alguns membros do seu governo, "não resolve o problema", antes adia apenas "o momento de tomar uma decisão".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG