"Não, não, próxima pergunta". Trump nega ter feito pedido ao ex-diretor do FBI

Acrescentou que não existiu qualquer "conluio" entre a sua campanha e a Rússia

Numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, Donald Trump negou ter pedido a James Comey, que demitiu de forma surpreendente do cargo de diretor do FBI, para deixar cair a investigação sobre as ligações da campanha de Trump à Rússia.

"Não, não, próxima pergunta", foi a resposta do Presidente dos EUA quando questionado sobre a situação.

"Acreditem em mim, não há qualquer conluio [com a Rússia]. Os russos estão ótimos, mas seja a Rússia ou qualquer outra pessoa, a minha prioridade são os EUA", acrescentou.

Depois, um pequeno comentário deu a entender que estava apenas a falar em seu nome, mesmo estando a defender a sua campanha. "Não há certamente qualquer conluio entre mim e a minha campanha, mas só posso falar por mim, e os russos. Zero", afirmou.

Disse ainda que a continuação da investigação é uma "caça às bruxas" mas disse "respeitar" a nomeação do procurador especial Robert Mueller, antigo diretor do FBI, para investigar "os esforços do governo russo para influenciar a eleição presidencial de 2016 e assuntos relacionados", anunciou o Departamento de Justiça.

"Respeito a decisão, mas isto tudo é uma caça às bruxas", repetiu.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG