Morreu após ritual de exorcismo

A vítima foi encontrada no quarto de um hotel de luxo, e a polícia suspeita que terá morrido asfixiada

Uma mulher foi encontrada morta este sábado num hotel de Frankfurt, na Alemanha, após ter sido submetida a um ritual de exorcismo. A mulher de 41 anos, cuja nacionalidade ainda não foi revelada, tinha hematomas no corpo todo, e a polícia suspeita que terá morrido asfixiada quando uma toalha foi usada para a silenciar.

De acordo com a Procuradoria de Frankfurt, citada pela correspondente do jornal espanholEl Mundo na Alemanha, a mulher foi atada à cama do quarto do hotel de luxo Intercontinental e mantida assim durante mais de cinco horas.

"Bateram-lhe nas zonas do corpo em que acreditavam que o diabo estava alojado", descreveu a Procuradoria. "A mulher deve ter sofrido dores tremendas", disse ainda, explicando que os participantes no ritual terão tentado impedi-la de gritar com uma toalha que lhe foi posta na boca.

Cinco pessoas foram detidas, incluindo dois menores de idade, por suspeita de participação no ritual de exorcismo. Uma das detidas, uma mulher de 44 anos, admitiu que se tratava de um exorcismo. Foram detidos os seus filhos de 21 e 29 anos, e dois adolescentes de 15 anos, um dos quais era filho da vítima.

O alarme foi dado por um sacerdote católico de origem coreana, de acordo com o El Mundo, que foi chamado ao quarto de hotel no final do ritual pelos participantes. Quando viu o que se passara, o padre desceu à receção do hotel, onde denunciou o que se passara.

Quando a polícia revistou a casa alugada pela detida de 44 anos, na localidade vizinha de Sulzbach, encontraram uma mulher trancada num quarto, ainda viva mas prestes a morrer de fome. Os casos de ambas as vítimas permanecem sob investigação.

Notícia alterada às 17.57: Foi corrigida a idade dos menores detidos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG