Mossul. A guerra em direto na internet: O ataque ao Estado Islâmico

Grupo de media curdo transmite online e em tempo real a reconquista de Mossul ao Estado Islâmico

A operação iraquiana, apoiada pelos EUA, para libertar Mossul do domínio do Estado Islâmico, tem sido acompanhada de forma intensa pelos meios de comunicação desde que foi lançada, na passada segunda-feira. Mas, provavelmente pela primeira vez na história, existe mesmo uma forma de acompanhar em tempo real tudo que acontece neste embate com os 'jihadistas': o Rudaw, grupo de media curdo, tem câmaras no local que transmitem praticamente sem interrupções as movimentações no terreno e o vídeo vai diretamente para o Youtube.

Vários meios de comunicação aproveitaram o facto e partilham, nas suas páginas de Facebook, o livestream da ofensiva no Iraque. É o caso da Al-Jazeera e do Channel 4, no Reino Unido, que mostram sem filtros - apesar de a distância das câmaras ser considerável - o posicionamento das forças iraquianas, os ataques por terra e por ar, as respostas dos militantes islâmicos.

Mossul, a segunda maior cidade do Iraque, caiu nas mãos do Estado Islâmico em 2014 e é um dos bastiões dos autoproclamado califado. Nos últimos dias, a Organização das Nações Unidas já veio alertar para a possibilidade de uma crise humanitária na sequência da ofensiva em Mossul : na cidade, estarão cerca de 1,5 milhões de pessoas proibidas de sair pelo grupo islâmico e cerca de cem mil podem fugir para a Síria e para a Turquia, diz o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG