Moscovo só teve seis minutos de sol em dezembro

Último mês de 2017 foi o mais escuro de que há registo

Os moscovitas viram apenas seis minutos de sol no passado mês de dezembro. Segundo o principal instituto de meteorologia da Rússia, o Meteonovosti, o último mês de 2017 foi o mais escuro de que há registo: em média, o sol brilha cerca de 18 horas em Moscovo durante o mês de dezembro.

"Foi uma situação extraordinária este ano", disse Romam Vilfand, o líder do centro meteorológico, citado pelo The Moscow Times. O responsável admite que as temperaturas mais altas em Moscovo - este ano, em média 5,8 graus acima do habitual - e as massas de ar do Atlântico, que levaram à formação de nuvens que bloquearam o sol, tenham sido a causa do fenómeno.

O recorde do mês de dezembro mais escuro remontava ao ano 2000, com três horas de sol para os moscovitas.

Apesar das temperaturas mais altas em Moscovo, que têm rondado os sete graus negativos nos últimos dias, nas zonas mais remotas do país é o frio que atinge recordes: na região de Yakutia os termómetros chegaram aos 67 graus centígrados negativos.

O frio é tal que os residentes ficam com as pestanas e os cabelos congelados mal põem um pé fora de casa e as escolas, normalmente abertas mesmo quando estão 40 graus negativos, fecharam devido ao frio intenso.

A fotografia de Anastasia Gruzdeva, que vive na região de Yakutia, tornou-se viral: nas redes sociais, a jovem partilhou o estado em que ficou após sair à rua, com as pestanas e as sobrancelhas cobertas de gelo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG