Morreu o tunisino Beji Caid Essebsi, o presidente mais velho do mundo

Chefe da diplomacia entre 1981 e 1986 e primeiro-ministro de fevereiro a dezembro de 2011, Essebsi foi eleito presidente em dezembro de 2014 após a queda de Ben Ali. Tinha 92 anos.

O presidente da Tunísia, Beji Cais Essebsi, morreu esta quinta-feira aos 92 anos, anunciou o gabinete da presidência. Estava internado desde ontem. Era o mais velho presidente em exercício no mundo.

Essebsi já tinha estado internado no mês passado, durante cinco dias, por causa de uma "crise de saúde grave".

O funeral será no sábado, segundo os media locais, e o primeiro-ministro, Youssef Chahed, decretou sete dias de luto nacional.

Chefe da diplomacia entre 1981 e 1986 e primeiro-ministro de fevereiro a dezembro de 2011, Essebsi foi eleito presidente em dezembro de 2014, nas primeiras eleições livres após a revolução tunisina desencadeada pela Primavera Árabe, que levou à saída do presidente Zine El Abidine ben Ali em janeiro de 2011 (estava no poder desde 1987).

Essebsi foi eleito na segunda volta das presidenciais de 21 de dezembro com 55,68% dos votos, derrotando Moncef Marzouki: "A hegemonia é uma ilusão (...). Não haverá um regresso a essa situação [na Tunísia]. Sou a favor de que se vire completamente a página do passado e se olhe em direção ao futuro. Num processo democrático há regras", disse após ser eleito, em resposta aos que o acusaram de ter sido aliado de Ben Ali.

As próximas eleições presidenciais estavam marcadas para 17 de novembro e em abril Essebsi tinha dito que não tinha planos para tentar a reeleição. "Honestamente, acho que não devo concorrer", disse no congresso do partido Nidaa Tounes, que fundou em 2012, indicando que era hora de "abrir a porta à juventude". Eleições parlamentares serão a 6 de outubro.

Após a morte de Essebsi, e tendo o presidente do Parlamento, Mohamed Ennaceur, de 85 anos, assumido a presidência interina como estabelece a Constituição, foi anunciado que as presidenciais serão adiantadas. Isto porque, segundo o mesmo texto, a presidência interina é de, no máximo, 90 dias, isto é, até final de outubro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG