Modelo que terá morrido em queda de avião acusada de vida "imoral"

Muitos dos comentários de radicais religiosos nas redes sociais sugeriram que a manequim seria punida na vida além morte devido às suas escolhas.

A família de Zara Abid, uma supermodelo de 28 anos que terá morrido na queda do avião numa zona residencial do Paquistão, na passada sexta-feira, viu as redes sociais da ,manequim serem invadidas por comentários que criticavam a sua forma de vida, as roupas que usava e o estilo de vida que classificaram de "imoral".

No avião, um Airbus A320, seguiam 91 passageiros e 8 tripulantes, e só terão sobrevivido duas pessoas, mas o número de vítimas ainda não foi confirmado.

O nome de Zara Abid estava na lista de passageiros e inicialmente foi noticiado que a jovem tinha sobrevivido, o que levou o irmão a pedir que as pessoas parassem de espalhar notícias falsas.

As contas do Instagram, Twitter e Facebook já não estão visíveis, mas não se sabe quem as desativou.

A sociedade paquistanesa é bastante conservadora, como sublinha a BBC, e o trabalho de uma modelo não é bem aceite.

À medida que se espalhava a notícia de Abid seguia no avião, as contas da modelo nas redes sociais começaram a ser inundadas de centenas de comentários de radicais religiosos que questionavam a fé da jovem.

Muitos dos comentários sugeriram que a manequim seria punida na vida além morte devido às suas escolhas.

Várias imagens em que Zara Abid surge com roupas decotadas foram sendo partilhadas nas redes sociais como exemplo do comportamento "pecador" da modelo.

Zara Abid trabalhou com algumas das maiores marcas da moda paquistanesa e em janeiro deste ano ganhou o prémio de "Melhor Modelo Feminino" na edição do Hum Style Awards. Deveria estrear-se como atriz ainda este ano.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG