Ministério Público belga acusa mais dois suspeitos de terrorismo

Os homens são suspeitos de terem ligação com uma célula jihadista de Bruxelas

O Ministério Público belga anunciou hoje que deduziu acusação contra duas novas pessoas no âmbito da investigação dos atentados terroristas de 22 de março, em Bruxelas.

Os dois homens são acusados de "participação em atividades de um grupo terrorista, assassínios terroristas e tentativas de assassínios terroristas, como autor, coautor ou cúmplice", suspeitos de terem ligação com uma célula jihadista de Bruxelas.

Samïl F., nascido em 1984, e Ibrahim F., em 1988, "estarão ligados ao aluguer do apartamento da 'rue des Casernes', em Etterbeek", uma comuna de Bruxelas, explicou o Ministério Público.

O apartamento alugado, que servia de esconderijo aos elementos de uma célula terrorista, foi alvo de buscas no sábado no âmbito de uma operação de grande envergadura e na presença massiva de forças de segurança.

O resultado da operação revelou-se, no entanto, "negativo", segundo uma comunicação anterior do Ministério Público belga.

De acordo com a televisão belga RTBF, o esconderijo serviu, no dia 22 de março, de ponto de partida para as atividades de Khalid El Bakraoui, o bombista-suicida da estação de metro de Maelbeek, acompanhado por Osama Krayem, que foi detido e acusado no fim de semana pelo Ministério Público belga. "A investigação prossegue ativamente, dia e noite", sublinhou o Ministério Público belga.

Os atentados de Bruxelas fizeram mais de 30 mortos e cerca de 300 feridos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG