Cerca de 20 mil pessoas retidas em cruzeiros por causa do Harvey

Tempestade tropical Harvey fechou porto da cidade de Galveston. Dois cruzeiros foram desviados para Nova Orleães

Vários cruzeiros com milhares de pessoas a bordo viram-se impedidos de atracar no porto da cidade de Galveston, nos Estados Unidos, face à aproximação do Furacão Harvey, que entretanto passou a tempestade tropical, depois de deixar um rasto de destruição e causar a morte a pelo menos uma pessoa.

De acordo com a operadora dos navios, a Carnival Corp, duas embarcações foram desviadas para Nova Orleães, para recolher mantimentos, enquanto uma terceira vai permanecer para já em Cozumel, no México. Os navios transportam cerca de 20 mil pessoas.

De acordo com a operadora, os passageiros não estão impedidos de abandonar os navios em Nova Orleães, mas esse é um cenário desaconselhado. "Dada a severidade e o trajeto previsto da tempestade, além das dificuldades que os passageiros poderão encontrar para regressar a Galveston, sugerimos fortemente que se mantenham a bordo enquanto tentamos que regressem a Galveston o mais rapidamente possível", alertou a operadora numa mensagem no Facebook.

A guarda costeira norte-americana já veio afirmar que está a acompanhar a situação dos dois navios que não puderam atracar devido à tempestade e está a trabalhar numa alternativa, avançou este sábado um dos responsáveis daquela entidade, em conferência de imprensa.

"Estamos a falar diariamente com a operadora, com a cidade de Galveston e as autoridades portuárias para encontrar uma oportunidade para que os cruzeiros possam entrar", afirmou Kevin Oditt, comandante da Guarda Costeira de Houston-Galveston.

Neste sábado, 15 pessoas foram retiradas de embarcações em dificuldades devido à tempestade.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG