México condena a mais de 14 anos um dos assassinos do jornalista Javier Cardena

Um dos assassinos do jornalista mexicano Javier Valdez Cardenas, morto em 2017, foi condenado na quinta-feira a 14 anos e oito meses de prisão, uma estreia no país em relação a homicídios de representantes da imprensa.

Heriberto Picos Barraza, apelidado de Coala, havia sido um dos autores do crime cometido em Cualiacan (noroeste), segundo a procuradoria especializada em crimes contra a liberdade de expressão (Feadle).

Barraza serviu como motorista de dois homens, Juan Francisco Picos Barrueto e Luis Idelfonso Sanchez, que atiraram naquele que era também colaborador da agência de notícias France-Presse, a 15 de maio de 2017, no exterior do seu escritório.

O homicídio do cofundador do semanário Riodoce e colaborador do jornal La Jornada, reconhecido pelas investigações sobre o tráfico de drogas, provocou na época indignação internacional.

Mais Notícias