Merkel está muito preocupada com o aumento de casos de covid-19 na Alemanha e equaciona novas medidas

A chanceler alemã alertou que se a tendência de aumento persistir, o número diário de novos casos podem chegar aos 19.200 até ao Natal.

O aumento acentuado do número de infetados pelo coronavírus na Alemanha está a deixar Angela Merkel muito preocupada, afirmou esta segunda-feira o porta-voz da chanceler alemã, tendo pedido aos cidadãos que respeitem as regras sanitárias, incluindo a higiene das mãos e o uso de máscaras quando o distanciamento social não é possível.

"A evolução do número de contágios é uma grande preocupação para nós", declarou Steffen Seibert. "Podemos ver nos nossos vizinhos europeus onde isto pode levar", completou.

Durante uma reunião com os elementos do seu partido, CDU, Merkel alertou que os novos casos - quase 2.000 diários atualmente - podiam subir para 19.200 até o Natal se a tendência persistir, informaram fontes do partido à AFP

O alerta da chanceler alemã surge um dia antes participar numa videoconferência com os responsáveis dos 16 estados federados da Alemanha sobre as próximas medidas a serem tomadas para conter a propagação do novo coronavírus.

De acordo com informação avançada pelo jornal Bild, a líder alemã terá questionado na reunião interna do seu partido, feita por videoconferência, se a atuação para travar o vírus na capital estaria a ser a mais adequada, sublinhando que "algo tem de ser feito em Berlim".

A Alemanha registou, na semana passada, mais de 2.000 novos casos diários de covid-19, números que se assemelham aos de abril. Só no sábado, os valores chegaram aos 2.507, os mais altos desde 18 de abril.

Registam-se 1.192 novos casos nas últimas 24 horas

O Instituto Robert Koch (RKI) e o virologista Christian Drosten, têm alertado diversas vezes para o perigo de contágio durante celebrações familiares

Só em Biefeld, no estado federado da Renânia do Norte-Vestefália, cerca de 900 alunos e professores de uma escola estão em quarentena, depois de terem sido detetados vários casos em consequência de uma reunião familiar.

"Não podemos deixar que, em algumas zonas, o vírus se continue a propagar exponencialmente", destacou hoje o porta-voz do governo, Steffen Seibert.

A Alemanha contabilizou, nas últimas 24 horas, 1.192 novos casos, apesar de três regiões não terem comunicado dados.

Desde o início da pandemia de covid-19, o país identificou um total de 285.332 casos e 9.460 mortos.

Há mais três vítimas mortais e 1.700 novos casos considerados curados em relação ao dia anterior, com a Renânia do Norte-Vestefália e a Baviera a destacarem-se com o maior número total de casos e óbitos.

A Alemanha começou a aliviar as restrições, incluindo o encerramento de lojas, a partir do final de abril, depois de semanas de confinamento, em que o pico de novas infeções atingiu as seis mil por dia.

Mas com as viagens a aumentar e as frequentes aglomerações de pessoas, sobretudo durante as férias de verão, a disseminação do novo coronavírus aumentou.

Durante a reunião da CDU, Merkel também referiu as prioridades referentes aos setores da economia que se devem manter abertos durante o combate à pandemia.

"Devemos estabelecer prioridades - manter a economia a funcionar, escolas e jardins-de-infância abertos. O futebol é secundário", disse a chanceler alemã, de acordo com o Bild.

Atualizado às 13:14

Mais Notícias

Outras Notícias GMG