Menina de oito anos torturada com "extrema crueldade" antes de ser morta

Naiara chegou a levar choques elétricos, depois de ser obrigada a ficar de joelhos em cima de pedras

Uma criança de oito anos morta em Sabiñánigo, Espanha, foi torturada com "extrema crueldade" durante horas antes de ser morta, disse a juíza instrutora do caso. Naiara chegou a levar choques elétricos, depois de ser obrigada a ficar de joelhos em cima de pedras.

O sumário do processo, revelado esta quinta-feira pela agência espanhola EFE, descreve em pormenor as mais de oito horas de tortura que foram infligidas à menor antes de os serviços de emergência terem sido chamados, pelo alegado assassino, irmão do companheiro da mãe da menina.

Os castigos físicos, diz o documento, começaram no dia 5 de julho na casa da mãe do acusado: depois de obrigar a menina a passar a noite de joelhos sobre pequenas pedras, com a tarefa de copiar 20 páginas de uma aula, o homem começou a bater na criança por não ter conseguido fazer os trabalhos, chegando a dar-lhe choques elétricos. Naiara foi amarrada e amordaçada e agredida até desmaiar.

A criança só recebeu assistência médica mais de duas horas depois, após ter passado duas horas na banheira. Naiara acabou por morrer no hospital no dia seguinte, em Saragoça, devido à gravidade das lesões sofridas, nomeadamente pelos golpes na cabeça. Inicialmente, o tio argumentou que a criança teria caído nas escadas.

No relatório, a juíza insiste na "extrema gravidade, crueldade e dureza" da punição infligida à menor pelo alegado assassino.

A avó e o padrasto da menina também estão a ser investigados já que as autoridades consideram que os abusos arrastaram-se no tempo e que eles tinham conhecimento dos castigos. A mãe, que trabalhava fora de Sabiñánigo, não teria conhecimento de que a sua filha era vítima de abusos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG