Médico acusado de usar o próprio esperma para fazer 60 filhos

Tribunal holandês aprovou agora a condução de testes de ADN a Jan Karbaat, dono de uma clínica de fertilização artificial

Um médico holandês que tinha uma clínica de inseminação artificial é acusado de ter utilizado o seu próprio esperma em vários casos, suspeitando-se que tenha cerca de 60 filhos.

Agora, um tribunal holandês aprovou, a pedido de algumas famílias, que fossem feitos testes de ADN para confirmar se Jan Karbaat, que faleceu em abril, aos 89 anos, é pai de várias pessoas. A clínica localizava-se em Bijdorp, perto de Roterdão, na Holanda.

Karbaat, que dizia ser um "pioneiro no campo da fertilização", de acordo com a BBC, viu a sua clínica ser fechada em 2009 depois de acusações de que teria falsificado informação, descrições de dadores e excedido o número permitido de seis filhos por dador.

Numa audiência em tribunal, o advogado de 22 pais e crianças afirmou que entre os casos que levantam suspeitas incluem, entre outros, uma pessoa que tem olhos castanhos quando, supostamente, o dador teria olhos azuis. Existem ainda relatos de crianças, muitas nascidas na década de 1980, que serão muito parecidas com Karbaat.

A BBC escreve ainda que, apesar de, em vida, Jan Karbaat se ter recusado a quaisquer testes de ADN, o filho do médico disponibilizou o ADN pai para testes, que mostraram que o médico pode ser pai de 19 crianças que nasceram através de inseminação artificial. Não se sabe se estas 19 pessoas estão dentro das que estão envolvidas no caso em tribunal.

Um advogado da família Karbaat diz que não existem provas que sustentem as acusações.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG