Máscaras vão passar a ser obrigatórias em todo o lado em Paris

Devido ao aumento de casos de covid-19, o uso de máscara vai passar a ser obrigatório em Paris e em todas as universidades francesas.

O uso da máscara vai tornar-se obrigatório em todo o lado em Paris, onde se regista uma deterioração da situação epidemiológica, anunciou, nesta quinta-feira, o primeiro-ministro francês, Jean Castex.

"O prefeito, após concertação com a presidente da Câmara, vai alargar o uso da máscara a toda a capital, pondo-se também a questão sobre o alargamento desta medida aos arredores da cidade", afirmou nesta manhã Jean Castex durante uma conferência de imprensa conjunta com o ministro da Saúde, Olivier Véran, e o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer.

O uso obrigatório da máscara - que já tem de ser usada nos transportes públicos, nos locais fechados e em diversas ruas - estende-se agora "a toda capital", disse Castex.

Para crianças com mais de 11 anos, "o uso da máscara será obrigatório em espaços fechados e ao ar livre", afirmou o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer.

A máscara também será obrigatória nas universidades, que vão reabrir pela primeira vez desde o confinamento declarado em meados de março. Os professores também devem usar máscara em todos os momentos.

Algumas cidades como Toulouse ou Marselha já tinham alargado o uso de máscara ao exterior em toda a cidade, mas faltava saber o que se passaria na rentrée em Paris, que tinha apenas algumas ruas assinaladas como uso obrigatório, assim como todos os espaços interiores. Os números, que mostram uma elevada circulação do vírus na Cidade-Luz, justificam agora esta medida.

Após quase dois meses de um confinamento que permitiu a redução do novo coronavírus, as infeções voltaram a aumentar significativamente em França nas últimas semanas, especialmente na região de Paris e no Sudeste do país.

Nas últimas 24 horas, mais de cinco mil novos casos de covid-19 foram registados, tendo sido detetados 24 novos focos de infeção, de acordo com dados publicados na quarta-feira pelas autoridades de saúde. Desde o início da pandemia já morreram mais de 30 mil pessoas.

O primeiro-ministro Jean Castex tem insistido na necessidade do uso de máscara para prevenir o contágio.

"O nosso objetivo é fazer todos os possíveis para evitar um novo confinamento generalizado", justificou Castex, apelando à "responsabilidade" dos franceses.

O ministro da Saúde, Olivier Véran, indicou ainda que o novo objetivo para a realização de testes no país é agora de um milhão por semana, com prioridade para quem tem sintomas ou é considerado como pessoa frágil.

Com Lusa

Mais Notícias

Outras Notícias GMG