Le Pen responde a Zidane: "com o que ele ganha compreendo que vote Macron"

Atual treinador do Real Madrid apelou hoje que o país a "evitar ao máximo" a Frente Nacional

Marine Le Pen respondeu hoje ao ícone do futebol francês Zinédine Zidane, que apelou ao voto contra ela na segunda volta das eleições presidenciais, ao considerar que "com o que ele ganha" não espanta que vote Emmanuel Macron.

Zinédine Zidane, atual treinador do Real Madrid, apelou hoje a "evitar ao máximo" a Frente Nacional (FN), que apresenta a candidata e líder do partido de extrema-direita à segunda volta das presidenciais, marcadas para o próximo dia 7 de maio.

Interrogada sobre esta declaração, Marine Le Pen considerou inicialmente que se tratava apenas de uma opinião.

"Que querem que diga, ele pode dar conselhos sobre futebol, é preciso dizer que nisso é muito bom, mas em política não é uma certeza", disse, e acrescentou: "Hão-de dizer-me, com o que ele ganha, compreendo ao mesmo tempo que vote em Macron".

"Suponho que o senhor Zinédine Zidane possuiu um considerável capital financeiro, e assim terá provavelmente todo o interessa na eleição de Macron para preservar a riqueza que conseguiu obter devido ao seu talento", disse.

"A mensagem, é sempre a mesma, a de 2002 [durante a passagem do pai de Marine Le Pen à segunda volta das presidenciais]. Estou longe de todas essas ideias, desta Frente Nacional. Assim, é preciso evitá-la ao máximo. Os extremos nunca foram bons", considerou o atual treinador do Real Madrid na conferência de imprensa antes da próxima jornada do campeonato.

O independente Emmanuel Macron venceu a primeira volta das presidenciais francesas do passado domingo com 24,01% dos votos, e vai defrontar, na segunda volta, a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, que conseguiu 21,30% dos votos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG