Manter comércio com UE pode exigir independência

Nicola Sturgeon defende que a Escócia deve manter o comércio livre com os Estados-membros da UE

A líder da Escócia afirmou esta terça-feira que o seu país deve voltar a avaliar a possibilidade de independência, caso o Reino Unido abandone o mercado único europeu, no âmbito da saída da UE ('brexit').

A primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, declarou que a Escócia deve manter o comércio livre com os Estados-membros da UE.

Sturgeon disse aos deputados irlandeses, numa intervenção em Dublin, que "se o caminho que o Reino Unido escolher for muito prejudicial para os interesses escoceses... então a população da Escócia tem de ter o direito a escolher um futuro diferente".

O discurso de Sturgeon foi o primeiro proferido por um líder de um governo estrangeiro na câmara alta do parlamento irlandês, o Seanad.

A Irlanda foi parte integrante do Reino Unido de 1801 a 1922. Os dois países aderiram à então Comunidade Económica Europeia em 1973.

Os escoceses optaram por permanecerem parte do Reino Unido num referendo sobre a independência realizado em 2014.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG