Mais de metade do túnel escavado. Como será o resgate de Julen?

Formações rochosas atrasaram a perfuração. Depois de concluído o túnel, seguem-se vinte horas de escavação manual

Equipas de resgate espanholas perfuraram mais de metade do túnel paralelo ao poço onde Julen caiu há uma semana, em Málaga. Às 7.00 deste domingo, os técnicos já tinham furado 33 dos 60 metros necessários. Depois disso, seguem-se mais pelo menos 20 horas para escavar cerca de quatro metros de uma galeria horizontal para chegar à zona onde esperam encontrar a criança de dois anos.

A expectativa ao início da tarde de ontem, quando a enorme perfuradora começou o seu trabalho, era acabar os trabalhos ainda durante a noite deste domingo. Se tudo corresse bem. Mas uma formação de ardósia, encontrada a 18 metros de profundidade, atrasou a perfuração. A urgência do caso levou a que não fosse feito qualquer estudo técnico prévio, num terreno que já provou ser complicado, com deslizamentos de terras e estruturas rochosas que já tinham obrigado a adiar o início da perfuração. Uma situação que obriga a cuidados redobrados para não colocar em risco a segurança da criança e dos trabalhadores.

Uma cápsula de 2,5 metros para resgatar Julen

Quando o túnel vertical estiver concluído, será a vez de entrar em ação a grua que fará descer pelo buraco uma cápsula com um diâmetro de 1,05 metros e uma altura de 2,5 metros. Será nessa caixa metálica desenhada para acolher duas pessoas que os especialistas de resgates em minas descerão para concluir a escavação, com recurso a martelos pneumáticos e picaretas, até ao poço onde a criança pode estar. E será nessa mesma cápsula que acreditam poder trazer Julen à superfície ainda vivo.

Recorde-se que a criança de dois anos caiu no domingo num poço junto à necrópole da Tumba Del Moro, local turístico em Málaga, na região da Andaluzia. Uma centena de pessoas participam da operação de resgate da criança desde as 14:00 de domingo, quando o pai do menino e o serviço 112 avisaram a Guarda Civil que ele tinha caído no poço, um buraco para prospeção e busca de água naquela zona de serra.

Para o local foram destacados elementos do serviço 112, do Consórcio Provincial de Bombeiros, Proteção Civil, a Equipa de Resgate e Intervenção de Montanha (EREIM) de Álora e Granada, submarinistas e bombeiros de Málaga. Algumas empresas privadas estão a ajudar nas buscas fornecendo equipamento para tentar localizar a criança. Nos últimos dias, as equipas de resgate encontraram cabelo da criança no túnel bem como restos biológicos que, após testes de ADN, se confirmou pertencerem a Julen.

Os pais da criança continuam no local e têm recebido apoio da população. O casal perdeu um filho, Oliver, em 2017 devido a um problema cardíaco.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG